Para a escola particular julho é um mês que inicia o planejamento de 2017:

– quantos serão os custos da escola para o próximo ano?
– quais áreas da escola é preciso cortar custos e/ou investir otimizando os recursos?
– qual será a porcentagem de aumento dos salários dos professores?
– qual será o índice de infração?
– qual a porcentagem de aumento que teremos que praticar nas mensalidades de 2013?
– qual a quantidade de alunos que deve ser evitada de evadir?
– quantos novos alunos serão conquistados para manter o equilíbrio financeiro?

Uma bússola valiosa para o planejamento anual  é a opinião da comunidade escolar (pais, alunos, professores e funcionários). Todos eles sem exceção, mas sobretudo os pais,  são a propaganda da escola , o boca-a-boca , principalmente em dias de redes sociais que fez do boca-a-boca a maior estratégia de marketing.

Saber o que pensa pais, alunos, professores e funcionários dá o norte para o planejamento e  certamente os possíveis erros serão  minimizados.

Uma Pesquisa de Satisfação é um instrumento que toda e qualquer escola deveria implantar , sobretudo, aquelas que estão em demanda declinante de matrícula.

Os  pais serão fiéis para com a escola que valoriza suas opiniões.

Os professores também sentirão participantes do processo de construção permanente da educação escolarizada.

E os alunos gostarão bem mais de conviver em um ambiente democrático e amistoso.

Todos ganham com a implantação da Pesquisa de Satisfação.

E, para quem é mantenedor de escola, um alerta importante:

Todos os anos a escola perde de 10 a 20 % de seus alunos , o que significa que será preciso conquistar novamente a mesma quantidade de alunos que evadiu.

E conseguir tamanha proeza além de ser caro é bem difícil em função do menor número de crianças que nascem versus a grande concorrência entre as escolas.

Portanto, o melhor caminho é evitar que esses 10% a 20% saiam da escola e para isso é preciso saber qual é o nível de insatisfação desses pais e alunos, utilizando o instrumento de pesquisa para corrigir o que for possível no curto espaço de tempo de três meses visando  minimizar o nível de evasão.

O CentrodEstudos possui know-how deste tipo de pesquisa escolar e pode ajudar a sua escola a enfrentar com muito mais tranquilidade o ano letivo de 2017!

Entre em contato e peça um orçamento: (19) 32554237

Tags: , , , , ,

Comentários (2)



Os gestores escolares devem periodicamente ouvir a sua comunidade escolar, prática muito pouco utilizada nas escolas. Não há Ombudsman, SAC, dentre outros expedientes que possibilitam mensurar a satisfação dos clientes: pais, alunos, professores e funcionários (incluido neste último a equipe técnica pedagógica).

 Ouvir é importantíssimo para a construção de uma formação intelectual e moral democrática, como também, para o negócio escola quando se trata de uma instituição de ensino privada.

Ouvir também é avaliar o quanto cada membro da comunidade escolar está satisfeito, lembrando que cada um possui um desejo específico a ser satisfeito.

O CentrodEstudos possui um instrumento bastante eficaz para ouvir cada canto da escola. Trata-se da Pesquisa de Satisfação da Comunidade Escolar composta por quatro segmentos, a saber:

  • Pesquisa de Satisfação dos Pais
  • Pesquisa de Satisfação dos Alunos
  • Pesquisa de Satisfação dos Professores
  • Pesquisa de Satisfação dos Funcionários

Abaixo, assista um trecho de uma Devolutiva para Pais com a Profa. Sônia Maria Aranha  realizada em uma escola confessional da rede particular de ensino.

Proposta de trabalho do CentrodEstudos para as Escolas:

  • Os instrumentos de pesquisa são submetidos a apreciação e as adequações;
  • Elaboração da circular para pais, alunos, professores e funcionários a respeito dos objetivos do instrumento de pesquisa e da garantia do anonimato;
  • Tabulação de dados dos instrumentos de pesquisa dos pais, alunos, professores e funcionários;
  • Relatórios do Levantamento de Dados: pais, alunos, professores e funcionários;
  • Análises do Levantamento de Dados: pais, alunos, professores e funcionários;
  • Relatório de Indicativos de Mudanças com Sugestões de Procedimentos;
  • Apresentação dos Dados para a Mantenedora;
  • Devolutiva para os professores e funcionários em reunião pedagógica;
  • Devolutiva para os pais em reunião geral;
  • Devolutiva, por turma, para os alunos  que participaram da pesquisa.
O ideal é realizar a pesquisa de satisfação do cliente contando com um intervalo mínimo de três anos. Exemplo:
Agosto/2012 = pesquisa de satisfação do cliente
Ano 2013 = mudanças a partir da pesquisa
Agosto/2015 = pesquisa de satisfação do cliente
Ano 2016 = mudanças a partir da pesquisa e assim sucessivamente

Diagrama

A mantenedora ouve a comunidade de forma sistematizada e, no ano seguinte, intervém em processos e procedimentos de trabalho visando atender as sugestões e críticas. Somente após este período de mudanças (primeiro ano curto prazo, segundo ano médio prazo e no terceiro ano longo prazo), realiza nova pesquisa visando saber se as intervenções foram adequadas atendendo a satisfação de cada um dos membros da comunidade escolar. E assim sucessivamente, em um movimento espiralado ascendente de qualidade contínua.

A melhor época para iniciar este processo é agosto com devolutivas ocorrendo em setembro, outubro, desse modo os gestores poderão planejar o próximo ano letivo de acordo com a opinião dos pais, alunos, professores e funcionários.

Pesquisa de Satisfação da Comunidade Escolar é um instrumento que agrega valor para a escola , aciona processos democráticos ensinando que a participação efetiva dos cidadãos é uma alavanca importante para desencadear as transformações almejadas.

Tags: , , ,

Comentário



Os professores estão a adoecer aos montes. Isso quem nos conta é a pesquisa Condições do trabalho e suas repercussões na saúde dos professores da educação básica no Brasil realizada para a Fundação Jorge Duprat Figueiredo de Segurança e Medicina do Trabalho – FUNDACENTRO – sob a coordenação das professoras-doutoras Márcia de Paula Leite e Aparecida Néri Souza do Departamento de Ciências Sociais na Educação – DECISE – da Faculdade de Educação da Universidade Estadual de Campinas – UNICAMP – a análise de sessenta e cinco pesquisas entre dissertações de mestrado e teses de doutorado demonstram que a totalidade dos trabalhos analisados faz referência ao mal-estar docente em todos os níveis do Ensino Fundamental e em todas as redes: pública (estadual e municipal) e privada.

O mal-estar diz respeito ao sofrimento “concebido como vivência subjetiva intermediária entre o bem-estar psíquico e os transtornos mentais” (LEITE, 2007, p.55) e há também além de um mal-estar mais agravado que é o estresse outro ainda mais grave, a Síndrome de Burnout, apontado também como fenômeno que acomete uma grande parte dos professores.

A Síndrome de Burnout é uma desistência de quem está encalacrado em uma situação de trabalho, mas da qual não pode suportar, e que, concomitantemente, não pode desistir, conduzindo a uma despersonalização, isto é, um distanciamento entre o trabalhador e o usuário de seu trabalho “neste caso o profissional assume atitudes de frieza e cinismo, o vinculo afetivo é substituído pelo vinculo racional. O profissional passa a tratar clientes e colegas como objetos” (LEITE, 2007,p.87).

Tags: , , ,

Comentário (1)






  • Veja Também


    Meta