17
set

Quando as escolas fecham as portas

por Sônia R. Aranha às 23:56 em: Escola Particular

 

Nos últimos cinco anos na região de Campinas , segundo o Sindicato de Professores, houve um aumento de 30% de fechamento de escolas particulares.

Manter uma escola particular não é fácil. É um setor de serviços com características próprias e complexas e quando negligenciadas levam invariavelmente à falência. Sim, porque escola particular é também uma empresa que precisa garantir sua sobrevivência já que não são subsidiadas pelos governos municipal, estadual ou federal,exceto as filantrópicas que gozam de isenção de alguns impostos.

A não observância dos 10 principais fatores ,abaixo relacionados, leva ao fechamento das escolas:

1) População: a pirâmide populacional do país está ficando invertida, os idosos aumentam e as crianças diminuem, mas esse dado científico, isto é, colhido de forma objetiva por intermédio de pesquisa do IBGE não é levado em consideração na hora do empresário abrir uma escola;

2) Bairro Envelhecido: escola antiga localizada no centro da cidade acompanha o envelhecimento da população do bairro e/ou a instalação de estabelecimentos comerciais no lugar das antigas residências. Os bairros periféricos que acolhem os modernos condomínios horizontais fechados recebem jovens casais que ali formam suas famílias optando por escolas mais próximas de suas residências. A não ser que a escola supere sua concorrência, instalada em bairros jovens e periféricos, com inovação pedagógica e qualidade de ensino comprovada, a tendência da escola em um bairro envelhecido é a de não suportar a diminuição de matrículas;

3) Concorrência: o número de crianças diminuiu, mas o número de escolas aumentou. Portanto, as poucas crianças que nascem em um município serão divididas entre escolas públicas e escolas particulares e as que irão para as escolas particulares representam aproximadamente 4% da população. Uma cidade como Amparo/SP, por exemplo, possui uma população estimada pelo IBGE de 2009 de 65.928 habitantes. Isso significa 2.637 alunos nas escolas particulares. Esse número mantém quantas escolas? De modo que as escolas terão que inovar e lutar dia-a-dia para satisfazer e conquistar esses poucos alunos e, para continuar existindo, deverão tomar para si muitos outros da escola pública, isto é ,  alunos da classe C e D;

4) Inadimplência: o setor da educação privada é o único setor que presta um serviço e pode não receber por ele durante todo um ano sem que nada ocorra para o mau pagador. Os pais podem ser negativados no Serasa e no SCPC, como também, levados a justiça para efetivar o pagamento, além de não renovarem a matricula de seus filhos, mas de qualquer forma nada disso é suficiente para conter a inadimplência escolar que gira em torno de 10%. De modo que a escola tem que contar com um departamento de cobrança muito efetivo para minimizar as perdas e inserir em seu planejamento essa margem de prejuízo;

5) Lei trabalhista: uma escola perde alunos, portanto, perde receita, mas não pode flexibilizar a sua folha de pagamento. Entre um acordo com os professores e o fechamento da escola e, consequentemente, o fechamento de postos de trabalho, o sindicato de professores opta pelo fechamento das escolas. De modo que é preciso cumprir a legislação trabalhista: a) aumentar anualmente o valor da folha de pagamento de acordo com a convenção coletiva que neste ano de 2011 teve um índice de aumento de 7,42% ou de 9,17% para as escolas que não possuem o Programa de Participação nos Lucros e Resultados; b) é impossível demitir um quadro de professores que ao longo dos anos se tornou oneroso para  depois contratar novo quadro com salários compatíveis com o número de alunos daquele momento histórico da escola;

6) Recursos Tecnológicos: exceto o laboratório de informática já obsoleto, a escola ,de modo geral,  não investe em nenhum tipo de recurso tecnológico: não possui um site de interação/propaganda/marketing de sua escola, não participa de nenhum tipo de rede social (orkut, twitter, facebook), não consta em destaque do Google Maps, não possui lousas digitais em suas salas de aula, não utilizam em suas aulas laptop ou tablet ao invés de livro didático, não usam e-mail como meio de comunicação e, tampouco ,softwares de gerenciamento dos negócios;

7) Avaliação Institucional: não é rotina escolar avaliar seus processos e os produtos de seus processos. A única avaliação que existe é a do aprendizado dos alunos. Não há qualquer ferramenta de avaliação do ensino, da gestão e da estrutura e funcionamento da escola. Como tomar decisões se não há parâmetros a serem seguidos?

8) Análises e Sínteses : com raríssimas exceções, a escola particular não é feita a análises e sínteses realizadas a partir de metodologia científica. Por exemplo: não se analisam longitudinalmente as matrículas para prever demandas declinantes no nível de entrada de alunos de modo a tentar estancar o declínio com medidas energéticas evitando a falência da escola ;

9) Planejamento a curto, médio e longo prazos: escolas não lidam bem com planejamento, sobretudo, os de cunho empresarial. Pergunte ao mantenedor de uma escola particular se ele possui um Business Plan. Escola tem Regimento Escolar, Projeto Pedagógico, Plano de Gestão, mas tudo isso voltado à gestão pedagógica. Todavia escola particular é uma empresa como qualquer outra e precisa saber planejar identificando metas a curto , médio e longo prazos visando tomar decisões mais acertadas para a sua saúde financeira;

10) Gestão doméstica e/ou familiar: é aquele tipo de gestão que não se apóia em análises, avaliações , dados, portanto, nada profissional. Em geral os mantenedores confundem gastos pessoais com os da empresa/escola, a remuneração dos sócios é incompatível com situação financeira da escola, sem capital de giro ou insuficiente, ausência de controle de custos, dentre outros.

Quando esses fatores se associam, uma escola fecha e quando uma escola fecha suas portas o sonho de muita gente é interrompido.

Em Campinas nos últimos anos acompanhamos o fechamento de algumas escolas:

Colégio Batista – Colégio Ateneu – Colégio Forte Castelo – Instituto Educacional Parthenon – Escola Harmonia

Mudança de Mantenedores: Escola Futura – Colégio Evolução – Colégio Progresso -Colégio Fleming

Para evitar que sua escola sofra falência entre em contato conosco: (19) 32554237 ou centrodestudos@centrodestudos.com.br

 

Tags: , , , , , ,

Comentários (54)






  • Veja Também


    Meta