Nesta quinta-feira  (15/08/2013)  a Prefeitura de São Paulo anunciou uma proposta de reorganização de sua rede de ensino por intermédio do programa Mais Educação.

No site do Mais Educação a população em geral , além dos profissionais da área educacional,  poderão opinar e debater cada ponto da proposta.

Abaixo segue o que está sendo proposto :

1) Autonomia das unidades escolares = fortalecimento da gestão escolar com descentralização dos recursos financeiros, técnicos e administrativos. E cada unidade escolar elaborará a parte específica de seu Regimento Escolar, também composto por uma parte comum para  todas as unidades.

2) Qualificação para o magistério = vários recursos estarão disponibilizados para o profissional da educação seguir sua formação continuada e serão organizados pelo Sistema de Formação de Educadores por intermédio de projetos, estudos, pesquisas criando 31 polos da Universidade Aberta instalados em CEUS., sendo que 18 deles serão instalados em 2013.

3) Qualidade do ensino com avaliação externa =  um novo sistema de avaliação será criado para o EJA – Educação de Jovens e Adultos e será desenvolvido um sistema de avaliação com bases nos Indicadores de Qualidade da Educação Infantil do MEC para avaliação da qualidade da Ed.Infantil aliados aos já existentes do SME. Para o Ensino Fundamental e Médio será dado continuidade ao sistema de avaliação nacional ( IDEB).

4) Avaliação para Aprendizagem e Acompanhamento = valorização do trabalho educativo, ato de cuidade , de respeito e de atenção, acompanhamento do aluno , do professor, da escola e do currículo feitos em profunda parceria com a comunidade.

5) Fim da Avaliação Automática = haverá a possibilidade de retenção no final de cada ciclo –

1º ciclo alfabetização = 1º, 2º e 3º anos , no final do 3º poderá ou não ocorrer retenção

2º ciclo interdisciplinar = 4º, 5º e 6º anos , no final do 6º ano poderá ou não ocorrer retenção.

3º ciclo autoral = 7º, 8º e 9º anos , no final do 9º poderá ou não ocorrer retenção.

6) Novo Currículo para o Ensino Básico = estruturação em 3 ciclos

1º ciclo alfabetização =(1º, 2º e 3º anos) objetiva garantir que todas as crianças estejam alfabetizadas até o final do Ciclo, no máximo, aos 8 (oito) anos de idade. Está centrado nos Direitos de Aprendizagem e Desenvolvimento, descritos no documento Elementos Conceituais e Metodológicos para Definição dos Direitos de Aprendizagem e Desenvolvimento do Ciclo de Alfabetização (1º, 2º e 3º anos) do Ensino Fundamental, do Ministério da Educação. A implementação das ações que visam à garantia desses direitos de aprendizagem será realizada de forma articulada ao Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa.

2. No Ciclo Interdisciplinar (4º, 5º, e 6º anos), a articulação entre as disciplinas será garantida pela presença de professores generalistas que acompanharão as turmas até o 6º ano e professores integradores em atividades de orientação aos alunos para desenvolvimento de projetos.

3. No Ciclo Autoral (7º, 8º e 9º anos), o trabalho com leitura, escrita e solução de problemas matemáticos, com pesquisa em todas as áreas do conhecimento, estimula os alunos à autoria. Este Ciclo é também momento privilegiado de autoria para os professores, que têm no espaço da aula local privilegiado para o desenvolvimento de metodologias de pesquisa na constituição de projetos junto a seus alunos.

Articulando seus nove anos de trabalhos com projetos interdisciplinares, o aluno produzirá Trabalho de Conclusão dos Ciclos – TCC – com compromisso de intervenção social.

 7) Mais vagas na rede = serão construídas 234 creches, 66 escolas de Ed.Infantil e Centros Municipais de Ed.Infantil e 20 CEUs.

Para conhecer o Mais Educação da Secretaria de Educação de São Paulo clique aqui

Tags: , , ,

Comentários (2)



A palestra Novos Modos de Ensinar/Aprender/Interagir , uma boa opção para o Planejamento de 2012, diz respeito a este novo mundo que estamos vivendo mas que  a escola  ainda não compreendeu.

Se visitarmos escolas privadas e públicas de todo o país vamos encontrar o mesmo: um prédio amplo dividido em salas destinadas ao estudo. Em geral possuem aproximadamente 30 m2, sendo que é reservado para cada aluno 1m2 e mais uns 3 m2 para o professor. Nessa sala de aula os alunos sentam um atrás do outro e o professor diante deles expõe o assunto do dia.

Esta organização espacial da sala de aula é idêntica àquela encontrada em 1928. Em um universo de 248.132 escolas brasileiras, talvez encontremos uma meia dúzia com diferente organização. E o tempo? Hora para estudar, hora de brincar no recreio, hora de usar o banheiro. Tudo igual também. Hora da aula de português, hora da aula de matemática, pagamento em hora/aula. Tempo do 1º ano do Ensino Fundamental, cuja duração encerra no final do ano letivo.

Ocorre que o mundo está longe de ser hoje como foi em 1928. O mundo mudou, mas a escola não. E daí que uma prática de ensino apoiada na fala do professor e atitude passiva dos alunos não tem mais lugar, porque esta geração de alunos que aí está interage todo o tempo em MSN, redes sociais, games. Produz, edita, distribui material em vídeos, textos e imagem. Constrói e vive em mundos virtuais. Uma geração que está inserida de forma participativa em uma enorme transformação social cada vez mais democrática, inclusiva e responsável socialmente.

 

O que fazer?

Promover um processo de ensino/aprendizagem interativo, com uso de recursos tecnológicos, próximo deste aluno do século XXI. E é sobre isso que a palestra Novos Modos de Ensinar/Aprender /Interagir propõe apresentar e discutir.

Contrate nossa palestra para o seu planejamento de 2013  aqui.

Tags: , , , , ,

Comentários (4)



Uma animação que mostra o cotidiano da maioria das escolas do Brasil e de outros países. Confira:

Tags: , , , ,

Comentário






  • Veja Também


    Meta