Queridas Coordenadoras Pedagógicas e Diretoras de Escolas Particulares , tenho uma novidade para vocês super bacana para o ano de 2013.

O CentrodEstudos , em parceria com a organização Lixeira Orgânica, lança neste início de 2013 o Projeto Lixo Vivo.

O Projeto Lixo Vivo é um projeto pedagógico interdisciplinar de manejo e destinação de lixo orgânico. O objetivo é construir junto com os alunos do Ensino Fundamental e Ensino Médio uma consciência ecológica visando um consumo responsável e uma ação de cuidar do lixo orgânico e doméstico.

A importância deste projeto se dá pela proximidade do término do prazo de ajustes e adaptações para que se faça cumprir a Lei nº 12.305/10, que institui a Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS)

A PNRS é bastante atual e contém instrumentos importantes para permitir o avanço necessário ao país no enfrentamento dos principais problemas ambientais, sociais e econômicos decorrentes do manejo inadequado dos resíduos sólidos.

Prevê para a geração de resíduos a prevenção e a redução propiciando o aumento da reciclagem e da reutilização dos resíduos sólidos, bem como a destinação ambientalmente adequada dos rejeitos.

E o mais importante: institui a responsabilidade compartilhada dos geradores de resíduos: fabricantes, importadores; distribuidores e comerciantes, titulares de manejo dos resíduos sólidos urbanos na Logística Reversa dos resíduos e embalagens pós-consumo e, atenção, nós consumidores.

De modo que em 2014, nós consumidores, seremos chamados à responsabilidade, razão pela qual é de fundamental importância promover o ensino e aprendizagem sobre o ciclo da vida para que possamos dar uma melhor destinação a nossa produção doméstica de lixo orgânico, foco do Projeto Lixo Vivo.

O Projeto Lixo Vivo é prático e teórico: prático porque os alunos irão manejar a Lixeira Orgânica e teórico porque irão , por meio de uma sala virtual verde, estudar tudo sobre resíduos sólidos e sua destinação, como também o lixo orgânico doméstico foco deste projeto.

A escola que adotar o Projeto Lixo Vivo aderindo o projeto pedagógico ganha:

1) Muita visibilidade porque se trata de um projeto arrojado e inovador;

2) Pretígio ao ensinar a sustentabilidade a escola ingressa na rede de organizações que promovem ações ambientais de alto impacto social;

3) Prêmios de adesão envolvendo bônus para a escola e pais de alunos;

4) Qualidade de ensino ao assumir um projeto interdisciplinar de ação ambiental concreta.

O Projeto Lixo Vivo inicia nas escolas em Março/2013, portanto, entre em contato o mais rápido possível para que no planejamento dos professores já possa ser introduzido as informações sobre o projeto.

Faça parte do círculo da vida , adote o Projeto Lixo Vivo em sua escola. Ligue (19) 32554237 ou pelo e-mail sonia@centrodestudos.com.br

Tags: , , , , , , ,

Comentários (12)



31
Dec

Queridos leitores,

Mais um ano chega ao seu final e um novo desponta no horizonte.

O que dizem por aí é que 2013 será um ano menos turbulento do que os anteriores, porém chega exigindo de todos nós responsabilidade.

Seguem cinco instrumentos para viver bem em 2013:

1) Responsabilidade e crescimento

O ano de 2013 exigirá de todos responsabilidade com: as finanças, com o próximo e consigo mesmo , sobretudo, na área da saúde.

Se 2013 tivesse um slogan ele seria: “ não deixe para depois o que se pode fazer hoje” . Portanto, nada de deixar de lado qualquer tipo de questão. Resolva na hora porque a hora é agora . Este é um ano que não tolera o jeitinho “brasileiro” , o corpo mole e o deixe pra lá. É um ano exigente que nos chama a pensar sobre as coisas, assumir nossa responsabilidade para que possamos crescer enquanto pessoas.

2) Necessário , apenas o necessário

É um ano que exigirá também um comportamento prático e objetivo. Será importante destacar o que é necessário daquilo que não é. O mundo enfrenta um crise financeira desde 2008 indicando que o modo de vida que a sociedade contemporânea adotou não é sustentável e, portanto, é em boa medida supérfluo. O ano de 2013 prescreve uma vida enxuta, limitada por um consumo socialmente responsável.

3) Recuperar , reestruturar, reciclar

É também um ano que permite construir sobre os escombros, recuperar aquilo que foi danificado. Um ótimo ano para aqueles que trabalham com reciclagem, restauração,demolição, reestruturação de corporações. Ano para recuperar o que foi perdido, dando-lhe um novo começo.

4) Relações que nos afetam

É um ano que traz relações sociais que nos afetarão sobremaneira para o bem ou para o mal. Ano de muito amor, mas , ao mesmo tempo, de muito bate-boca. Alerta total porque poderá gerar depressão, razão pela qual é preciso cuidar da saúde psíquica.

5) Profundidade e transformação

Esqueça velhas ideias que serviam para um velho mundo. O ano de 2013 , assim como os anteriores, mas com muito mais intensidade , pede transformação para lidar com o desapego, abrindo o caminho para novas mentalidades e comportamentos. Não haverá lugar para o raso e o superficial . É um ano que buscará nas profundezas aquilo que é verdadeiro e só com ele será possível seguir adiante.

Façamos um brinde ao novo ano que será excelente para aqueles que seguirem suas exigências!

Tin-Tin!

 

 

Tags: , , ,

Comentário



30
Dec

Professor sob pressão

por Sônia R. Aranha às 18:26 em: Educação, Escola Particular

Professor sob pressão : prevenção e enfrentamento da violência no ambiente de trabalho é um livro organizado pela professora Cecília Maria Martins Farias, coordenadora do Núcleo de Apoio ao Professor contra a Violência (NAP) e diretora do Sindicato dos Professores do Ensino Privado do Estado (Sinpro/RS).

Lançado no primeiro semestre de 2012  em Porto Alegre e em Caxias do Sul, o livro apresenta como os professores da rede privada do sul do país estão a enfrentar assédio moral, discriminação e ameaças.

Dados publicados pelo livro apontam que 83,2% dos professores que responderam a uma pesquisa espontânea do NAP, em 2007, acreditam que há a chamada “desconstituição” da sua autoridade em sala de aula. A pesquisa também mostra que esta exclusão de autoridade acontece por meio de agressões físicas e até, pela Internet. E para 37% dos docentes que responderam ao estudo, as direções das escolas são omissas e responsabilizam os próprios professores pela violência sofrida.

A obra que começou a ser compilada em 2007, conta com artigos da psicanalista e doutora em Educação Roséli Cabistani; Luciane Toss, advogada do Sinpro/RS; do juiz do Trabalho Rubens Fernando Clamer dos Santos Júnior; de membros da Associação Psicanalista de Porto Alegre (APPOA); da própria Cecília, entre outros.

Fonte: Leouve

Tags: , , ,

Comentário



Claudio Oliver dá uma palestra sobre exploração infantil que vale a pena assistir.

Tags: , ,

Comentário



24
Dec

Assista o vídeo sobre o projeto pedagógico adotado pela escola pública Escola Amorim Lima que assumiu a progressão continuada e o ciclo para conquistar uma aprendizagem livre.  Uma esperança para a escola e para o ensino público.

Tags: , ,

Comentário



23
Dec

Assistam o vídeo História das Coisas e conheçam como funciona o sistema capitalista:

 

Tags: , , , ,

Comentário



21
Dec

Feliz Natal!

por Sônia R. Aranha às 22:03 em: Educação

Aos meus queridos leitores , pais de alunos, professores e colegas desejo um feliz Natal regado de bençãos. Meu cordial abraço

 

Tags: ,

Comentário



26
Oct

O que é ser professor?

por Sônia R. Aranha às 8:47 em: Educação

Por: Todos pela Educação

Neste mês do professor, que reflexão você faz sobre a sua profissão?

Sou um ser que tenho nas mãos o poder de mudar uma sociedade. Sou um formador de opinião e, juntamente com meus alunos, iremos deixar nossa marca neste mundo. Iremos fazer a diferença, somos seres únicos.
Ricardo Nóbrega Lopes, de Mombaça (CE)


Hoje, qual é o maior desafio da carreira de um professor?

Creio que um dos maiores desafios do professor hoje é ensinar um aluno desinteressado e sem motivação. Primeiro, o professor precisa falar sobre a importância da Educação para a vida do aluno, para depois ensinar outros conteúdos.
Maria Isabel Amphilo, de Sorocaba (SP)


Ser ouvido hoje em dia é o maior desafio que o professor enfrenta dentro da sala. A mídia que usamos (a nossa fala) não é mais interessante para os alunos que vivem na era digital.
Natalia Marinho, de Belo Horizonte (MG)


O maior desafio do professor hoje não é ensinar, pois isso ele faz com maestria. O maior desafio do professor é ser ouvido… Influência faz toda a diferença. Mestres: não desistam de seus pupilos…
Aline Marcelo Ferreira, Estrela d’Oeste (SP)


O desafio é se atualizar na carreira, ou seja, fazer cursos extras com o salário de professor.
Andréa Ramires, de Guarulhos (SP)


Eu acredito que o maior desafio está em inovar o nosso método e, principalmente, em despertar no aluno o prazer e o gosto de estar ali enquanto aluno.
Maria José Almeida, de Barra Santa Rosa (PB)


Cada região possui suas particularidades e, portanto, desafios a serem vencidos. Mas acredito que o maior deles está na terceirização da Educação, já que a família tem se eximido cada vez mais da responsabilidade de zelar pela boa formação de seus filhos, além da perda de referência do que é esta boa formação… Cada vez mais os professores são cobrados em áreas que não possuem formação (há de ser psicólogo, entender de casos médicos, ter habilidade e muitas vezes prestar serviço como assistente social) além, claro, de suas demais responsabilidades, que a cada ano aumentam burocraticamente.
Luciana Pena, de Campinas (SP)


O maior desafio para um professor de hoje é provar para a sociedade o valor do conhecimento. Atualmente os valores estão deturpados e o conhecimento e os desenvolvimentos sócio-cognitivo e afetivo têm perdido lugar para o consumismo e as atividades ilícitas.
Edilaine Renata Crepaldi Ribeiro, de Cambé (PR)


Qual é a melhor hora do seu dia como professor?

Quando atuava na Educação Infantil, era a hora da rodinha, o momento inicial das aulas, pois era a hora de conhecer mais o aluno e de explicar como seria toda a rotina da aula diariamente. Nesse momento, as crianças se emocionam, expressam-se à vontade, riem muito e também estreitam a relação com o professor. Hoje, atuando na universidade, considero a hora mais interessante o momento da avaliação, quando leio as anotações finais que eles colocaram no portfólio a respeito de cada aula e percebo o crescimento crítico e intelectual sobre as políticas educacionais na Educação. É muito gratificante!
Joelma Fernandes, de Boa Vista (RR)


Quando olho meus alunos e vejo seus olhos brilhando, demonstrando alegria com a minha presença.
Zezé Bruno, de Quissamã (RJ)


O melhor momento é aquele em que estamos aprendendo. Ser professor é estar sempre em aprendizado, pois o conhecimento deve gerar mudança.
Daniel Nogueira, de Campo Grande (MS)


Pra mim, o melhor momento é quando abro para as perguntas dos alunos. Nada como uma aula que suscita interação, inquietação, questionamentos…
Maria Genaina Reder, de São Pedro da Aldeia (RJ)


A melhor hora é quando vemos que conseguimos formar cidadãos críticos e autônomos, expressando sua opinião. É nessa hora que vejo que meu trabalho faz a diferença neste país!
Perla Oliveira Guimarães, de São Paulo (SP)


Quando sempre fico em dúvida em como será minha aula. Dá-se aí uma vontade de querer sempre mais e melhor.
Erick Souza, de Ribeirão Pires (SP)


Quando chego à escola e vou encontrando os sorrisos pelo caminho.
Elizete Coelho Pinheiro, de Vitória da Conquista (BA)


Quando entro nas salas e os alunos vêm me abraçar felizes porque a aula de história começou.
Karina de Figueiredo, de São Paulo (SP)


*Depoimentos editados pelo Todos Pela Educação

Tags: , ,

Comentário



 

 

Atenção Mantenedores , há uma novidade da Convenção Coletiva de Trabalho da Educação Básica 2012-2013 está na clausula 22. Fiquem atentos:

22. Garantia semestral de salários

Ao PROFESSOR demitido sem justa causa, a ESCOLA garantirá:

a) no primeiro semestre, a partir de 1º de janeiro, os salários integrais até o dia 30 de junho;
b) no segundo semestre, os salários integrais até o dia 31 de dezembro, ressalvado o parágrafo 3º.

Parágrafo primeiro – Não terá direito à Garantia Semestral de Salários o PROFESSOR que, na data da comunicação da dispensa, contar com menos de 18 (dezoito) meses de serviço prestado à ESCOLA, ressalvado o parágrafo 3º desta cláusula.

Parágrafo segundo – Para não ficar obrigada a pagar ao PROFESSOR os salários do semestre subsequente ao da demissão, a ESCOLA deverá formalizar a demissão no período compreendido entre 1 (um) e 30 (trinta) dias que antecede o início das férias ou do recesso escolar.v

Parágrafo terceiro – Quando as demissões ocorrerem a partir de 16 de outubro, a ESCOLA pagará, independentemente do tempo de serviço do PROFESSOR, valor correspondente à remuneração devida até o dia 20 de janeiro do ano subsequente, inclusive, respeitado o pagamento mínimo de trinta dias do recesso escolar, não sendo devido o pagamento acumulativo de aviso prévio.

Parágrafo quarto – Os PROFESSORES admitidos serão registrados a partir da data de início de suas atividades na ESCOLA, incluindo o período de planejamento escolar, cabendo à ESCOLA, sem prejuízo das previsões legais, o pagamento em dobro dos dias trabalhados sem registro durante o referido planejamento.

Parágrafo quinto – Os salários complementares previstos nesta cláusula terão natureza indenizatória, não integrando, para nenhum efeito legal, o tempo de serviço do PROFESSOR.

Tags: , ,

Comentários (2)



26
Oct

Nota fiscal: a escola deve fornecer

por Sônia R. Aranha às 7:51 em: Educação

 

 

Afinal qual a importância da nota fiscal para a administração da instituição?
Por Alan Castro Barbosa do BWContabilidade

Uma empresa quando aberta define alguns itens básicos para sua existência, um deles é a finalidade, objetivo, a que veio ao mundo.

As instituições de ensino nascem como uma empresa de prestação de serviços educacionais, e como todos sabem a estrutura diferenciada deste segmento causam dúvidas em todos os aspectos legais, tanto na área contábil/financeira quanto na trabalhista.

No caso em específico, temos de ressaltar que as empresas de serviços estão ligadas diretamente a fiscalização e tributação da prefeitura municipal, é através dela que será emitida a nota fiscal, hoje eletrônica na maioria das cidades.

Mas afinal de contas para que serve uma nota fiscal e qual a importância que ela possui?
Ela é um documento que comprova que foi consumado o serviço, ou seja, a prestação do serviço é comprovada pelo contrato e nota fiscal, independentemente do recebimento.

Uma escola emite mensalmente as notas fiscais, mas uma grande parcela comete o erro de apenas emitir nota aqueles que pagam a mensalidade, o que está errado.

Cobrança

Caso a escola possua pais inadimplentes, em caso de cobrança via judiciário, a nota fiscal será o principal documento junto ao contrato escolar que comprovará que houve o serviço, sem ela o juiz pode entender que não há comprovação dos fatos.

Legalidade

A nota fiscal é imprescindível, a efetivação do serviço só é dada com a emissão da nota fiscal.

Simples Nacional

O Simples Nacional, imposto pago pela maioria das instituições de ensino, usa como base de cálculo o total de faturamento, que por sua vez corresponde ao total de notas fiscais emitidos naquele período.

O problema na hora de emitir notas fiscais de materiais escolar

Outra grande dúvida dos gestores é sobre a venda ou repasse de materiais didáticos, cantina, uniformes etc.

No início falamos que a escola tem como finalidade a prestação de serviços educacionais, que está previsto em seu contrato social registrado junto aos órgãos competentes.

Se sua escola não possui a atividade de VENDA, não poderá emitir nota sobre estes produtos.

Veja:

Para as escolas que não possuam inscrição estadual e autorização para emissão de NF de venda de mercadorias e pretendem o fornecimento (o mero repasse sem lucro) do material didático e do kit escolar, entendo que o ideal seria informar no corpo da nota de serviços o que vamos sugerir logo abaixo.

ORIENTAÇÃO PARA O PREENCHIMENTO DA NOTA FISCAL DE SERVIÇO ESCOLAR

É importante frisar que os valores repassados (sem lucro) da mercadoria, devem condizer com o que foi proposto no contrato com o aluno, no qual precisa prever o fornecimento da mercadoria, para que não haja dúvidas de que o valor do material fornecido está integrado à anuidade escolar, e assim entendendo, como exemplo:

Se a escola optou pela cobrança da anuidade escolar em 12 vezes, considerando que o custo com o material está somado as 12 parcelas, e o material será entregue em janeiro, na nota fiscal do período de janeiro, no corpo da nota deve ser escriturado o seguinte:

Parcela 1 de 12 da anuidade escolar do ano letivo de 2012, conforme contrato de serviço escolar.

NOTA 1: não é preciso destacar o material no corpo da nota porque já consta no contrato o fornecimento desse produto, destacá-lo pode causar embaraço no documento fiscal.

NOTA 2: não há problema algum se a primeira parcela for maior que as 11 seguintes porque está sendo considerado, além da mensalidade escolar, também o material entregue. O importante e a somatória das parcelas conferirem com o valor da anuidade.

NOTA3: veja que esta primeira parcela pode ser emitida em qualquer mês, o detalhe importante é que normalmente não há aula em janeiro e os mantenedores aproveitam o período de férias para organizar a distribuição dos materiais que serão empregados no decurso do ano, ficando fácil de compreender que aquela parcela, não se refere ao serviço de ensino somente, e sim sobre os resíduos do contrato, quais sejam, os materiais ofertados, dizemos, material didático e kit escolar.

Se a escola optou pela cobrança da anuidade em 13 parcelas (a que entendemos ser a mais usual) esta será cobrada no ano anterior ao do letivo, no corpo da nota fiscal deve ser escriturado o seguinte:

Parcela 1 de 13 da anuidade escolar referente ao ano letivo de 2012, conforme contrato de serviço escolar.

NOTA 1: geralmente a primeira parcela é cobrada no ano anterior ao do letivo. Essa estratégia é comum entre os mantenedores que procuram evitar que seu aluno vá para outra escola e também para se programar financeiramente para o próximo ano, já que será possível saber com quantos pagantes iniciará o novo ano.

NOTA 2: do ponto de vista fiscal, para a receita apurada dessa primeira parcela deve ser considerado exatamente o mês do seu faturamento, ou seja, o mês em que se emitiu a nota fiscal, ainda que seja na condição de pagamento futuro, exceto se o regime adotado for o de caixa.

NOTA 3: um fato comum entre os mantenedores é a renovação da anuidade para o ano seguinte com o aluno na condição de pagamento no primeiro mês do ano letivo, neste caso, se a escola não adota o regime de caixa, só poderá emitir a nota fiscal no mês em que receber a primeira parcela, caso contrário, terá que tributar adiantadamente uma fatura que não entrou em seu caixa.

O simples termo e um recibo de renovação de anuidade (rematrícula) é suficiente para garantir ao aluno sua vaga, não sendo necessária a entrega da nota fiscal antes de seu pagamento.

Tags: ,

Comentários (93)






  • Veja Também


    Meta