12
mai

 

Em novembro de 2010 escrevi um post Caçada de Pedrinho e a falsa polêmica (aqui) a respeito da polêmica instaurada pela mídia diante de um Parecer CNE/CEB n°.15/2010 (aqui) do Conselho Nacional de Educação (CNE) e da Câmara de Educação Básica (CEB), desencadeado por uma denúncia feita pelo Prof. Antonio Gomes da Costa Neto sobre o teor racista do livro Caçada de Pedrinho do autor Monteiro Lobato.

Na ocasião meu post objetivava esclarecer que o CNE acatou uma denúncia do professor por ser pertinente e legal e prescreveu ações que atendem a legislação brasileira sem, no entanto, eliminar do acervo literário infantil de nossas escolas autor da importância de Monteiro Lobato, ao contrário do que divulgava a mídia.

Após dois anos da publicação do post Caçada de Pedrinho e a falsa polêmica, recebo do Prof. Leonardo F.Nascimento da IESP-UERJ ,o fruto de um estudo de sua autoria e de outros dois autores , Prof.Dr João Feres Junior da IESP-UERJ e da Profa.Dra. Zena Winona Eisenberg PUC Rio, o artigo : Monteiro Lobato e o Politicamente Correto , publicado pela Revista Dado, n.56, 1, pp. 55-92, 2013.

O estudo apresentado neste artigo, a meu ver, contribui com a reflexão de inúmeras questões de nossa contemporaneidade: o politicamente correto utilizado pela mídia, o poder político da palavra, o racismo da sociedade brasileira, a construção do espaço público, o significado da liberdade de expressão, dentre outros.

Segundo os autores Feres, Nascimento e Eisenberg o estudo demonstra , ” em desacordo com a opinião dominante na grande mídia, o caráter inegavelmente racista de vários trechos da obra de Lobato para o leitor contemporâneo, inclusive de sua literatura infantil; a necessidade fática da existência do politicamente correto em qualquer sociedade, principalmente nas sociedades democráticas contemporâneas e sua positividade moral; e, levando em conta os dados mais sólidos acerca do desenvolvimento cognitivo e moral humano, a inadequação da posição dominante na mídia e, em parte, dos pareceres do MEC, no que toca a questão do uso didático desse livro.

Leia o artigo: Monteiro Lobato e o Politicamente Correto

Sobre os Autores:

João Feres Júnior
IESP-UERJ
jferes@iesp.uerj.br
Professor de ciência política do IESP-UERJ, editor assistente da revista Contributions to the History of Concepts, coordenador no Brasil do Projeto de História Conceitual do Mundo Atlântico (Iberconceptos) e coordenador do Grupo de Estudos Multidisciplinares da Ação Afirmativa (GEMAA). Trabalha atualmente com teoria política, políticas de ação afirmativa, relações raciais, estudos de mídia, teoria da história conceitual, e história dos conceitos de América, América Latina e civilização no Brasil e em outros países. É autor do livro A história do conceito de Latin America nos Estados Unidos, publicado em português (EDUSC 2005), espanhol (Editorial de la Universidad de Cantabria 2008), francês (Editions L’Harmattan 2010) e inglês (Nova Science 2010), e é coautor do livro Teoria política contemporânea: uma introdução. Foi co-organizador de seis outros livros, trêse história conceitual e três acerca das políticas de ação afirmativa.

Leonardo Fernandes Nascimento
IESP-UERJ
leofn@yahoo.com.br
Graduado em Psicologia, Mestre em Sociologia pela USP e Doutorando em Sociologia pelo IESP-UERJ. Atualmente desenvolve pesquisas sobre sociologia dos diagnósticos e sociologia computacional. Sua tese de doutorado tem como tema a construção do transtorno de estresse pós-traumático no Brasil.

Zena Winona Eisenberg
PUC-Rio
zena.eisenberg@gmail.com Doutora em Psicologia do Desenvolvimento Humano pela City University of New York (2006), pós-doutora no Programa de Pós-Graduação da Faculdade de Educação (ProPEd) da UERJ (2008), é hoje Professora Assistente no Departamento de Educação da PUC-Rio. Atua principalmente nas áreas de aquisição de noções temporais, de conceitos, desenvolvimento da linguagem e do pensamento. É autora do livro From Now to Then: Parents and children talk about past and future (LAP Lambert Academic Publishing AG &

Tags: , , , , , ,

Veja Também:

2 Comentários »

  1. | Maria Frô comenta:

    maio 12, 2013 @ 20:29

    […] Por: Profa. Sônia Maria Aranha em Centro de Estudos […]

  2. Favorecer um amigo pode ser racismo? | SCOMBROS comenta:

    maio 13, 2013 @ 9:21

    […] Por: Profa. Sônia Maria Aranha em Centro de Estudos […]

Por favor, Deixe um comentário aqui !




  • Veja Também


    Meta