conselho

Com o tema fortalecer o conselho escolar qualificando o conselheiro, e transmissão direta pela internet, começa nesta quarta-feira, 16, às 18h, o 5º Encontro Nacional de Fortalecimento dos Conselhos Escolares, que reunirá no Hotel Nacional de Brasília cerca de 350 gestores e técnicos de secretarias estaduais e municipais de educação que trabalham com a gestão democrática na escola. Estarão presentes representantes de 310 municípios, 27 estados brasileiros e o Distrito Federal.

Este ano, o evento pretende, por meio de palestras e oficinas temáticas, debater e aprofundar a importância da formação continuada do técnico responsável pela implantação e pelo fortalecimento desses colegiados.

“Os estados e os grandes municípios são reconhecidos por sua capacidade de irradiar informações”, afirma Clélia Mara Santos, coordenadora-geral de redes públicas da diretoria de apoio à gestão educacional da Secretaria de Educação Básica do MEC. “Contamos com eles para levar aos demais municípios todos os dados sobre as formações para os conselheiros escolares, que, segundo o IBGE, estão presentes em 76,2% dos municípios brasileiros.”

“Essa formação representa um passo importante para alcançarmos diretamente o conselheiro escolar”, prossegue Clélia. “Assim, aproximamos ainda mais as formações do MEC do chão da escola e colaboramos para a melhoria da qualidade social da educação básica pública brasileira, por meio do fortalecimento do conselho escolar como órgão colegiado com efetiva participação das comunidades escolar e local na gestão da escola.”

Parte da agenda nacional das atividades que reforçam a gestão democrática no país, o encontro nacional dos conselhos escolares é uma oportunidade para que gestores e técnicos de educação possam trocar experiências e multiplicar conhecimentos que nortearão a gestão na área. Realizado desde 2009, o encontro tem como público alvo os técnicos das secretarias de educação estaduais e das secretarias de educação das grandes cidades, que, juntos, representam cerca de 60% da matrícula nacional.

Qualificação – Criado em 2004, até 2012 o Programa Nacional de Fortalecimento dos Conselhos Escolares investiu na formação de técnicos das secretarias estaduais e municipais de educação, para criar uma consciência da importância de promover, expandir e qualificar a gestão democrática nas escolas. A partir de 2013, o programa está centrado na formação dos conselheiros na base escolar. A meta para este ano é qualificar 8 mil conselheiros nos estados de Santa Catarina, São Paulo, Rio de Janeiro e Ceará, estados que sediam as universidades que oferecem o curso de extensão a distância Formação Continuada em Conselhos Escolares. Em 2014, a meta será ampliar o número de turmas e de municípios em que haverá formações.

Fonte: Assessoria de Comunicação Social do MEC

Tags: ,

Veja Também:

2 Comentários »

  1. Telma Maria Soares comenta:

    fevereiro 7, 2014 @ 15:35

    Boa tarde ,Sonia.Somente hoje li a sua resposta referente ao meu comentário.Moro em Santa Bárbara MG.`que desde 13/12/2013 que ando correndo atrás de soluções para resolver o problema referente a reprovação do meu netinho (7anos)que foi reprovado em português direto,sem chance fazer a recuperação.Observando o informativo da escola deparei com uma informação que não estava clara.A informação era que o aluno seria recuperado no 1º semestre e não havia a do 2º semestre e que para fazer a recuperação final necessitaria de 50 a 59 pontos.Fui atrás da inspetora e ela pediu o regimento da escola.Eles apenas me entregaram ao que se referia ao aluno mas,mesmo assim foi confirmada a minha dúvida.Fomos a direção e até com a inspetora a diretora continuava a manter a posição não aceitava que seu regimento não estava claro.com muito custo chegamos num acordo que a prova seria aplicada.Mas isso não aconteceu em dezembro porque estavam entrando de fériase a professora não podia fazer nem o trabalho porque iria viajar.Foi marcado para a primeira semana de fevereiro.Ele passou as férias toda estudando e preparando.Liguei para a escola antes,em 27 de janeiro e ela disse que ja não seria a prova primeiro e sim o trabalho pedi que adiantasse o trabalho para o dia 31 ela disse que não tinha condição e que seria entregue na segunda.O trabalho foi entregue na 3ª de manhã e na 4ª aconteceu a prova de manhã.Na 5ª às 11:00 ela me ligou e disse que tinha o resultado mas que só me entregaria na presença da inspetora,uma vez que esta não poderia vir por estar de plantão na metropolitana de BH.Só que eles estão atrasando o começo de aula do meu neto em outra escola pois ainda não o matriculamos e nem compramos o material.Outra coisa,pedi-lhe que o orintasse bem, após a avaliação ele me disse que as ´duvidas eram só tiradas se ele perguntasse.Eu conversei com ela no dia anterior e lhe disse que ele sabia a matria e que o auxiliasse lembrando-o de prestar atenção,ler de novo o texto,lembrar que as resposta são completas,etc pois oseu grau de desatenção é muito grande e ele disse que nocorreu dessa forma ela ficou sentada fazendo suas coisa e de vez em olhava mas não falava nada.OBS:pode um professor trabalhar matéria a nivel de 3º eano uma vezque asérie dele é 2a.Ele já perdeu todo início gostoso de uma nova turma ,professora e escola,como fica a cabecinha de uuma criança.Me ajude,me dê uma luz,diga me o que fazer não aguento maia essa agonia.No mais agradeço a atenção um abraço.

  2. Sônia R. Aranha comenta:

    fevereiro 7, 2014 @ 20:22

    Telma que coisa heim?

    Eu sofro com vocês viu? É triste constatar a cada dia a quantidade de profissionais sem competência, sem sensibilidade para lidar com crianças.

    Ainda bem que a inspetora foi auxiliar você. Em geral eles não ligam muito para o assunto. Pelo menos você pode contar com ela.

    E que coisa esta diretora não entregar o Regimento nem para a inspetora!! É um documento público o Regimento Escolar e toda a comunidade escolar tem necessariamente que ter acesso a ele.

    Se diante de uma autoridade a diretora não aceitou as observações feitas ao Regimento Escolar, imagina como lida com os pais?

    Telma , acho que ela manteve a reprovação do seu netinho. É mais provável que sim, infelizmente.

    Se ela fez isso , você deve entrar com Recurso junto a Secretaria de Educação pedindo orientação para a inspetora de como é o procedimento em Minas Gerais. E se for o caso você segue para o Conselho Estadual de Educação que é o mais alta instância escolar,ok?

    Se houver necessidade podemos redigir o documento de Recurso para você, mas neste caso teremos que cobrar honorários para fazê-lo.

    O Recurso é um instrumento garantido pela lei federal n.8069/90 , artigo 53, inciso III que concede a criança e ao adolescente o direito de contestar critérios avaliativos em instâncias escolares superiores.

    Daí você entra com Recurso junto a Secretaria de Educação e segue adiante se não conseguir reverter a situação de reprovado para aprovado.

    É isso amiga! Vou fazer uma consulta com advogado para saber se há alguma coisa a ser feita via Justiça ok?

    Abraços

Por favor, Deixe um comentário aqui !




  • Veja Também


    Meta