19
out

ENEM 2015 – Horário de Verão

por Sônia R. Aranha às 0:40 em: ENEM

Tags: ,

Veja Também:

2 Comentários »

  1. PATRICIA comenta:

    abril 7, 2016 @ 13:32

    Ola, bom dia. Meu filho estuda numa escolar particular, educacao infantil ( esta com 3 anos). foi punido no escola por ter “batido” na tartaruga da escola. Deixaram ele de “castigo” na sala dos professores na hora de uma atividade que ele gosta de fazer (por pelo menos 5 minutos, segunda a coordenadora), foi repreeendido verbalmente e a coordenadora ainda apertou o braço dele e perguntou se ele estava gostando ou estava doendo para ele entender o que havia feito com a tartaruga. Somado a isso orientaram o meu filho e nao me contar, ameaçando- o e perguntando se ele ia gostar se os pais ficassem sabendo do ocorrido. Meu filho me contou tudo e fomos conversar com a coordenadora que confirmou toda a historia relatada pelo meu filho. Ele ainda contou que disse a ela que nao estava gostando dela apertar o braço dele , que estava doendo e chorou. Gostaria que vocês me orientassem de como proceder. Falar com a diretora e donos da escola? procurar a delegacia de ensino e fazer uma denuncia? conselho tutelar? Não concordo com castigos e punições fisicas, nao acho q é papel da escola. Acho q eu deveria ter sido comunicada do fato pelas professoras e coordenadoras. Preciso de ajuda e orientação para seguir no caminho certo e defender meu filho.

  2. Sônia R. Aranha comenta:

    abril 7, 2016 @ 15:49

    Patricia,

    1) falar com a diretora e donos da escola? sim, com certeza. Faça um documento bem formal, endereçado para a direção e dono da escola esclarecendo o fato e dizendo que esse procedimento é inadmissível ocorrer em uma escola e que você pede providências administrativas contra a coordenadora, caso contrário, acionará a Justiça. Peça ainda uma devolutiva da escola por escrito.

    2) Se a resposta da escola não for adequada daí sim você poderá buscar outros órgãos competentes: Conselho Tutelar, Ministério Público do seu Estado. São órgãos que “podem fiscalizar as entidades e dar início a procedimento destinado a apuração de irregularidades em entidades governamentais e não governamentais. As entidades de atendimento são as que executam os programas de proteção e sócio-educativos. As governamentais são as da administração direta ou indireta, criadas e mantidas pelo Poder Público, e as não governamentais são as particulares, de natureza privada.

    Para exercer esta função, os conselheiros têm livre acesso a qualquer entidade, não podendo ser obstado o seu ingresso. Aliás, embaraçar ou impedir a ação do Conselho Tutelar é crime punido com detenção de 6 meses a 2 anos. Deverão fazer a visita à entidade, verificando, basicamente, o cumprimento do artigo 94, do ECA, elaborando um termo de visita ou de inspeção.”

    ok?

    abraços


    AJUDE A MANTER ESTE BLOG – faça uma doação, clique no botão abaixo. Saiba mais sobre as motivações aqui

    depósito no Banco Itaú – 341-ag.0546- c/c 69960-4-Centro de Estudos Prospectivos de Educação e Cultura-CNPJ 03.579.977/0001-01





Por favor, Deixe um comentário aqui !




  • Veja Também


    Meta