10
nov

Creches como direito educacional

por Sônia R. Aranha às 16:51 em: Política Educacional

Um documentário sobre o reconhecimento do atendimento em creche como um direito educacional das crianças brasileiras foi uma conquista da mobilização da sociedade civil, em especial das mulheres, que nos anos 1980 foram à luta organizando unidades de atendimento e cobrando o Poder Público.

Um pouco dessa história está neste mini-documentário Lugar de Criança – A Sociedade Civil e a Luta pelo Direito a Creche dirigido pela jornalista Eliza Capai, que retrata, por meio de depoimentos de mulheres protagonistas desta luta, a história de três Organizações da Sociedade Civil (OSCs) que oferecem serviço de creche em comunidades da periferia de São Paulo.

Tags: , ,

Veja Também:

2 Comentários »

  1. maria emilia comenta:

    agosto 24, 2015 @ 16:36

    Olá pessoal, bom dia!
    Estamos com um problema na creche em que meu filho estuda e não sei mais como podemos ajudar.
    Moramos em Santo André-SP, e ele está em uma creche publica desde o inicio do ano – o que está acontecendo é que em meados deste ano, (por volta de abril, maio) a lista de espera pela vaga só vem aumentando, e muitas mães estão entrando com liminares para conseguir a vaga. A sala, o numero de recursos, profs, é todo estruturado para ter 24 crianças (12 em período integral + 12semi-manhã e 12 semi-tarde) e atualmente estamos com 36 e nesta semana (ultima de agosto) estão entrando +6 e ficaremos com o total de 42 crianças. Todo o andamento da sala está sendo modificado (estão revezando as crianças em 2 turmas), a diretora está constantemente tentando contratar novas AADI´s, porém o espaço físico para tanta gente (cuidadores + crianças) já passou do limite….sabemos que a partir do momento em que existe a liminar é necessário acata-la, porém como comentei estamos em agosto e até o final do ano novas liminares podem surgir, mas fisicamente, já não existe mais como atender tantas crianças da maneira como se deve. Existe algo que possa ser feito neste caso?

    Obrigada,

    Maria Emília

  2. Sônia R. Aranha comenta:

    agosto 24, 2015 @ 17:26

    Maria Emilia, situação difícil mas a pressão deve ser feita sobre a Secretaria Municipal de Educação de Santo André.

    Veja bem, a criança é prioridade absoluta em nossa Constituição e deve estudar próxima de sua casa.

    O Ministério cumpre o que determina a legislação.

    Ocorre que a prefeitura de Santo André precisa ampliar a demanda.

    De modo que recomendo que a comunidade escolar elabore documento bem completo para o Ministério Público explicando as condições de trabalho que a escola , divulgando a metragem do espaço escolar e demonstrando que não há mais possibilidades de atender mais crianças e que o MP intervenha junto a prefeitura e encontre outra solução para atender outros alunos porque nesta unidade escolar não é mais possível sem prejudicar o trabalho pedagógico e a garantia do conforto das crianças, ok?

    abraços


    AJUDE A MANTER ESTE BLOG – faça uma doação, ajude este blog ajudar você. Saiba mais sobre as motivações aqui

    depósito no Banco Itaú – 341-ag.0546- c/c 69960-4-Centro de Estudos Prospectivos de Educação e Cultura-CNPJ 03.579.977/0001-01


Por favor, Deixe um comentário aqui !




  • Veja Também


    Meta