Queridos leitores, diante de inúmeros pedidos de apoio, ajuda e informações que vínhamos recebendo a respeito de diferentes aspectos que envolvem a educação  , resolvi criar um outro blog específico para responder questões, sobretudo de pais e alunos, ok?

Mas peço que nos comentários sempre informem de qual cidade/Estado se está falando e se  a referência é a escola pública ou a privada, porque estas informações me possibilitam responder com maior acerto, ok?

O endereço é www.soniaranha.com.br , façam-me uma visista!

Ah! Sim, continuarei por aqui.

 Abraços Profa.Sônia Aranha

Veja Também:

78 Comentários »

  1. RIAT MARIA PEREIRA GOMES comenta:

    janeiro 17, 2012 @ 17:45

    OI ADRIANA. SOU PROFESSORA DE UMA ESCOLA PRIVADA NO ESTADO DA BAHIA E GOSTARIA QUE VOCÊ ME ESCLARECESSE O SEGUINTE: UMA ALUNA QUE COMPLETARÁ 7 ANOS EM ABRIL DE 2012 PODERÁ SER MATRICULADA NO 2º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL OU TERÁ QUE REPETIR O 1º ANO? OBRIGADA.

  2. RIAT MARIA PEREIRA GOMES comenta:

    janeiro 17, 2012 @ 17:47

    AMEI ESSE ESPAÇO.

  3. Profa. Sônia Aranha comenta:

    janeiro 17, 2012 @ 17:55

    Olá, não sei se você se equivocou e ao invés de escrever Profa.Sônia escreveu Adriana, ou se está a buscar algum comentarista de nome Adriana, na dúvida vou responder a sua questão, ok?

    Houve um erro na matrícula deste aluno e para consertá-lo não é possível penalizá-lo retendo-o no 1o ano até porque basta a mãe entrar com pedido de recurso junto ao órgão competente que ela ganha já que além do erro em si há a Resolução CNE/CBE n.07/2010 que recomenda veementemente a não retenção nos 3 primeiros anos do Ensino Fundamental imagina reter porque a secretaria da escola marcou bobeira, não é mesmo?

    Então, a secretária escolar deve buscar seu supervisor explicar o erro e pedir orientações de como fazer e negando-se ,caso encontre um maluco de supervisor , a reter o aluno por conta de data-corte .

    Eu recomendo que a escola não faça isso porque caberá a ela inclusive processo por danos morais.

    Resolva com o supervisor de ensino a melhor maneira de regularizar a vida escolar deste aluno sem penalizá-lo.

    Abraços , volte sempre!

  4. RIta MARIA PEREIRA GOMES comenta:

    janeiro 18, 2012 @ 15:35

    Oi sônia. Essa questão do ensino de nove anos a obrigatoriedade foi a partir de 2010?

  5. Profa. Sônia Aranha comenta:

    janeiro 18, 2012 @ 18:42

    Olá Rita, não.

    A lei é a lei 11.114/2005 (aqui) – portanto de 2005 e a lei nº 11.274/2006.(aqui), portanto, de 2006!!
    Abraços

  6. Helena comenta:

    fevereiro 13, 2012 @ 18:41

    Olá Sonia.

    Infelizmente parece que o MP de SP não irá atuar na também minha batalha do ingresso da criança no ensino, digo isso pelo que eles postaram no site.
    Meu filho tem 3 anos e tive que matricular no Jardim 0 e nao no jardim 1 como pretendia, pq ele nasceu no dia 31.08, vc tem alguma notícia.

    Obrigada

    Helena

  7. jania comenta:

    fevereiro 22, 2012 @ 22:03

    oi sonia .
    gostaria de saber o q faco pra fazer uma faculdade…
    pois estudei ate o terceiro ano do ensino medio mais fiquei em dependencia em uma materia por decimos..tbm fiquie devendo a mesma materia no primeiro ano do ensino medio a materia e matematica…como q eu faco …

  8. Tati comenta:

    fevereiro 23, 2012 @ 16:06

    Boa tarde,

    Profª Sônia

    Conversei no dia 06 de fevereiro com relação a matricula de meu meu filho de uma escola publica para uma particular e vc me orientou que ele deveria ser matriculado no 6ºano, pois cursou a 4ªsérie em 2011, so que ao pegar o historico consta da seguinte maneira:
    1ª série em 2008, 07 anos

    2ª série em 2009, 08 anos

    3ª série em 2010, 09 anos

    4ª série em 2011, 10 anos e o historico continua até 9ª série.

    O que acontece é que ele faz aniversário 13/03/2011,vai fazer 11 anos completo e se encontra agora no 5ªano com crianças com idade de 9 e 10 anos e está revendo novamente a mesma matéria do ano anterior,e as crinças acham que ele rodou em vista da idade,existe uma Lei que possa transfieri-lo para 6ºano? E com respeito ao historico terá problema no futuro?
    Sou de Santa Catarina

    Por favor me ajude

    Abraços
    Obrigado

  9. Profa. Sônia Aranha comenta:

    fevereiro 24, 2012 @ 0:19

    Olá Tati , ele tem que estar matriculado na 5a série que corresponde ao 6o ano e não no 5o ano. É o correto porque no ano passado ele cursou a 4a série que corresponde ao 5o ano este ano ele deve cursar a 5a série que corresponde ao 6o ano , daí a idade estará correta porque ele tem fará 11 anos que é o correto.

    Não há problema nenhum do histórico dele a nomemclatura ser em séries e não em anos ,mas tem que parar na 8a série. Não há 9a série e sim 9o ano. A escola está maluquinha.

    Recomendo que você busque a Secretaria de Educação do Estado de Santa Catarina e que supervisiona a escola particular e lá vc mostre o histórico e a matrícula que fizeram e eles irão lhe ajudar porque ele não pode cursar o 5o ano porque corresponde a antiga 4a série …

    O que eu posso lhe dizer que não está correto de modo que você deve buscar corrigir isso junto a Secretaria de Educação, ok?

    Precisando estou por aqui, ok?

  10. Profa. Sônia Aranha comenta:

    fevereiro 24, 2012 @ 0:40

    Olá Jania, você necessariamente precisa ser aprovada no Ensino Médio, caso contrário , negativo , não dá para fazer faculdade.

    Alternativas para você escolher:

    – verificar na sua região se alguma escola a reclassifica da seguinte forma: Matricula você no 1o ano, reclassifica você para o 3o ano e você completa os estudos até o final de ano.

    – Entrar com recurso na Secretaria de Educação já que ficou retida em uma única disciplina matemática e no último ano.

    – Se tiver 18 anos você pode fazer o ENEM e atingindo os pontos mínimos nas questões e na redação você pode pedir para a Secretaria de Educação seu certificado de conclusão do Ensino Médio . Daí não é preciso frequentar o último ano ou a dependência.

    É isso! abraços

  11. Luciana comenta:

    maio 31, 2012 @ 0:26

    Sônia,existe alguma notícia sobre a ação civil pública para alteração da data de corte de 30/6 em São Paulo? Obrigada.Luciana

  12. Profa. Sônia Aranha comenta:

    maio 31, 2012 @ 0:47

    Olá Luciana,

    As notícias são as seguintes:

    1) O Ministério Público Federal em São Paulo impetrou ação civil pública condenando a União e a Secretaria de Educação do Estado de São Paulo a flexibilizar a data-corte por meio de um laudo psicopedagógico;

    2) A juíza que julgou a ação considerou a mesma improcedente por causa da liminar concedida para o Ministério Público de Pernambuco;

    3) O Dr.Jefferson Aparecido Dias autor da ação irá recorrer da decisão da juíza.

    Estamos aguardando…

    Abraços!!

  13. Margareth Tôrre comenta:

    abril 22, 2015 @ 22:19

    Gostaria de saber qual a resolução que fala sobre a idade correta em que as escolas podem cobrar a alfabetização das crianças, pois a escola de minha filha está cobrando que as crianças leiam as questões das provas e a façam sem nenhuma ajuda da professora.Minha filha cursa o 2º ano do ensino fundamental e tem 6 anos e 10 meses de idade, mas não está alfabetizada ainda.

  14. Sônia R. Aranha comenta:

    abril 24, 2015 @ 4:48

    Margareth, não há uma lei o que há são diretrizes curriculares que orientam a respeito do conteúdo programático.

    A sua filha não tem que estar alfabetizada em abril do 2o ano .. ela está ainda compreendendo o que significa a escrita, o uso social da escrita, o alfabeto, o conceito de sílabas, palavras.. enfim.. está ainda construindo o conhecimento da língua portuguesa na modalidade escrita.

    Leia um artigo que escrevi a respeito: http://www.soniaranha.com.br/a-antiga-1a-serie-e-o-atual-1ano-do-ensino-fundamental-de-9-anos/

    Pode questionar a professora e alertá-la que se não houver um trabalho adequado de alfabetização você não aceitará uma reprovação como determina a Resolução CNE/CBE n.07/2010 que diz que não deve ter reprovação nos três primeiros anos do ensino fundamental.

    http://blog.centrodestudos.com.br/resolucao-no-7-de-14-de-dezembro-de-2010/

    abraços

  15. Veronica Maria Veras Viana comenta:

    junho 23, 2016 @ 12:45

    ESTOU PRECISANDO DA SUA AJUDA PARA DESENVOLVER UMA OCORRENCIA NA ESCOLA QUE TRABALHO. NO NOSSO MUNICIPIO TEVE CONCURSO PUBLICO NO ANO PASSADO MAIS PRECISAMENTE EM SETEMBRO , ATÉ AI TUDO BEM, FORAM CHADOS OS NOVOS PROFESSORES PARA A SAÍDA DOS PROFESSORES CONTRATADOS, E ENTÃO TEMOS 10 TURMAS DE EDUCAÇÃO INFANTIL SENDO 05 CRECHES, 03 PRÉ I E 02 PRÉ II(05 ANOS), ENTÃO TEMOS UM PROFESSOR DE UMA DESSAS TURMAS DE PRÉ II QUE ESTA TENDO ATITUDES DIFERENCIADAS COM SEUS ALUNOS, E ESTA MOSTRANDO ESPECIFICAMENTE UM TRATAMENTO INADEQUADO COM UM ALUNO, DEIXANDO O ALUNO FORA DA SALA , TRANCANDO A PORTA E DEIXANDO O DE FORA POR DUAS VEZES NO MESMO DIA, A DIRETORA CONVERSOU COM ELE E RECLAMOU , MAS ELE VEZ OUTRA VEZ COMO MENCIONEI, E DISSE QUE SE NÃO PODIA COLOCAR ELE PARA FORA PARA ELE CONTINUAR DANDO SUA AULA ELE IA DEIXA-LO A VONTADE PARA FAZER O QUE QUISESSE, ENTÃO GOSTARIA QUE NOS ORIENTASSE COMO FAZER ESSA OCORRENCIA PARA QUE A ESCOLA POSSA DE FORMA DIGNA A AJUDAR ESSE ALUNO QUE DE CERTA FORMA ESTA SENDO DISCRIMINADO, E DEIXAR DITO TAMBÉ QUE QUANDO ESSE ALUNO FALTA A SALA FICA DE CABEÇA PARA BAIXO TAMBÉM, ENTÃO ACHAMOS QUE O PROBLEMA É O PROFESSOR E NÃO O ALUNO. ESSE ALUNO ELE É INQUIETO SIM MAS NÃO JUSTIFICA ESSE TRATAMENTO E MAIS NO RELATÓRIO BIMESTRAL ELE NÃO RELATOU NADA DO DESEMPENHO DO ALUNO, SÓ FALOU DE INDISCIPLINA, E O MENINO CONTINUA FORA DA SALA A MAIORIA DO TEMPO, SENDO QUE A GESTÃO SEMPRE QUE ELE SAI FAZ COM QUE ELE VOTE MAS O PROFESSOR FAZ DE CONTA QUE A CRIANÇA NÃO EXISTE PELO MENOS É O QUE ENTENDEMOS.

  16. Sônia R. Aranha comenta:

    julho 2, 2016 @ 18:50

    Olá Veronica,

    1) Esta é uma questão administrativa. A diretora poderá solicitar uma orientação da Secretaria de Educação em casos de professores que não estão correspondendo com suas atribuições.

    2) Em função disso a professora poderá dar uma advertência ao professor , mas para isso ela precisa saber junto a Secretaria de Educação e também no jurídico como é que faz para advertir o professor ,já que ele poderá ser exonerado do cargo.

    3) É preciso advertir o professor de forma correta , por isso que consultar o jurídico da Secretaria de Educação é importante, ok?

    Claro que vocês estão corretíssimas, mas como ele é professor concursado deve ter uma norma para adverti-lo.

    A mãe também poderá denunciar este professor junto ao Ministério Público do seu Estado, mas vai cair sobre a direção.

    Veja, a direção é a responsável pela escola. Então, ela tem que tomar uma atitude porque, caso contrário, poderá sofrer as consequências.

    Chamar o professor para uma reunião , com testemunhas, e alertá-lo que este procedimento não é admissível porque a nossa legislação de ensino determina que a criança tenha acesso a educação e seja bem atendida. E que a direção e coordenação estão a disposição dele para encontrar caminhos pedagógicos exitosos para este aluno, mas que discriminá-lo e deixá-lo para fora de sala de aula não será aceito.

    ok!

    Precisando entre aqui novamente. Desculpa demorar para entrar aqui mas são muitos os pedidos de ajuda!
    Abraços

  17. RAQUEL FRANCA comenta:

    julho 27, 2016 @ 19:12

    Minha filha tem doenças crônicas como 2 hernias de disco, asma, heplepsia, endometriose tudo diagnosticado com atestado enviado a escola. Vi aqui sobre esse assunto, que deveria fazer uma declaração e informar ao Colégio das faltas pois nem sempre tenho atestado os médicos deixam a receita pra medicar em casa. Não aceitaram o meu pedido de abono das faltas. Isso consta em alguma lei? Ou tenho que depender do bom censo da escola.
    Raquel RJ

  18. Sônia R. Aranha comenta:

    julho 28, 2016 @ 18:09

    Olá Raquel,

    Rio de Janeiro é difícil….

    Mas já que você fez o pedido e não teve solução tente o Ministério Público do seu Estado.
    Escreva para eles http://www.mprj.mp.br/cidadao/ouvidoria/faca-sua-comunicacao-aqui/

    Diga que você tentou uma negociação com a escola que não lhe atendeu.
    Diga ainda que sua filha teria direito ao atendimento pedagógico domiciliar conforme diz http://www.dominiopublico.gov.br/download/texto/me000423.pdf

    http://www.mpsp.mp.br/portal/page/portal/Educacao/ensino_fundamental/textos_educacao_fundamental/Monografia_Atendimento_Alunos_Enfermos_P%C3%A1gina070514.pdf

    e a lei federal n.13.146/2015, vigorando desde janeiro de 2016,em seu artigo 28, parágrafo 1o.

    Peça intervenção do MP, ok?

    abraços

  19. Cláudio Nifran A. Leite comenta:

    agosto 9, 2016 @ 12:08

    Sônia, bom dia!

    Recentemente meu filho (8 anos) estava sendo atendido por uma profissional (fono). Chegou a um ponto que eu não estava mais aguentando o método que ela estava adotando com o meu filho, varias vezes meu filho chorava durante as consulta, ela havia dado um trabalha que fazia parte do tratamento (segundo ela) e na consulta seguinte jogou no lixo dizendo a ele (meu filho) que não tinha sido ele que o fez e o chamou de mentiroso. Descordei do tratamento e tivemos uma divergência de opinião sobre o tratamento e neste dia sai da sala da consulta. O tratamento já estava em andamento a mais de 8 meses e ela nunca havia ido a escola onde meu filho estuda. Foi uma surpresa para mim quando a orientadora da escola me chamou dizendo que a (fono) havia ido na escola conversou com ela e entregou um relatório e no mesmo relatório alegou que o Pai estava atrapalhando o tratamento; “Usou de falsa alegação”. O que eu gostaria de saber é se a Drª poderia ter ido a escola falar com a orientadora entregar este relatório sem o conhecimento e autorização dos pais. Mais uma atitude não profissional, excluiu o paciente (meu filho) sem comunicação a partir da visita na escola. O que devo fazer com relação a este relatório que foi entregue na escola, posso pegar de volta?

  20. Sônia R. Aranha comenta:

    agosto 25, 2016 @ 0:40

    Claudio, que coisa, heim?

    Não sei lhe responder.. nunca lidei com este tipo de caso… estou a pensar..

    A conduta foi antiética, isso é certo.

    O que você poderia fazer é solicitar uma reunião com a direção da escola e pedir pelo menos para ler o relatório já que você não teve acesso ao conteúdo do mesmo.

    Não vejo problemas da escola lhe entregar o relatório, porém se o relatório foi endereçado a escola penso que a escola possa ser obrigada a lhe entregar.

    Que situação… recomendo que procure um advogado para intermediar este conflito porque se você precisar da escola para um trabalho pedagógico de inclusão, por exemplo, a escola poderá alegar que a família atrapalha .. enfim.. difícil.. então, tendo um advogado para fazer conciliação acho prudente, ok?

    abraços

  21. Cristiane comenta:

    outubro 4, 2016 @ 5:06

    Ola Sônia, sou de Belo horizonte tenho uma filha de 10anos que esta na 4°série em uma escola particular, ela nao vai bem em uma matéria(matemática) nas outras materias tem notas boas, como ė uma escola muito rigorosa estou muito preocupada que ela seja reprovada por uma única materia. Você pode me esclarecer se realmente a escola pode reprovar sendo uma unica matéria no 4° ano ? Tem algum recurso que eu posso entrar para que ela nao repita o ano?

  22. Sônia R. Aranha comenta:

    outubro 6, 2016 @ 3:36

    Cristiane, sim a escola pode reprovar por uma única disciplina se isso constar do Regimento Escolar.

    Em Minas é mais difícil. Terá que entrar com Pedido de Reconsideração junto a direção da escola e depois se indeferido junto ao Conselho Estadual de Educação. Não é muito usual mas é o jeito.

    Mas eu recomendaria fazer esse pedido agora, quem sabe a direção aprova a sua filha por Conselho?

    Eu presto serviço de escrever a defesa do aluno, mas cobro honorários. Caso precise entre em contato: saranha@mpcnet.com.br

  23. Elçiane Feldman comenta:

    outubro 20, 2016 @ 12:18

    Prezada Dra. Sônia Aranha

    Bom Dia!

    Tenho uma filha, hoje com 18 anos de idade, que tem depressão e dificuldade de socialização (faz tratamento com psiquiatra), ficou mais de 2 anos sem conseguir ir para escola sendo que fazia trabalhos em casa que a escola enviava. Nesse ano achei melhor colocá-la em uma escola particular mais perto pois notei o interesse dela em tentar voltar a ir a escola. No início ela conseguiu mas a mais de 1 mês ela fica em casa na cama sem vontade de nada. Liguei para escola e me disseram que ela vai repetir de ano pois não frequenta a escola. Ela possui um laudo médico. A escola pode fazer isso?

    Por favor me ajude!

    Atenciosamente,

    Eliane Feldman
    (Rio de Janeiro)

  24. Sônia R. Aranha comenta:

    outubro 20, 2016 @ 19:37

    Elaine, a escola deveria tê-la assistido conforme determina a lei.

    O problema é que se ela não tiver notas e não houver tempo suficiente para compô-las todas no período que resta de final de ano letivo.

    Tudo vai depender da situação dela e o que é possível fazer.

    Mas a escola deveria ter aplicado o atendimento pedagógico domiciliar que é previsto para casos como esse.

    O mais recomendável seria tentar uma intervenção com a escola por meio de advogado neste momento porque depois de reprovar será mais difícil porque no Rio de Janeiro não há intervenção da Secretaria de Educação como ocorre aqui em São Paulo.

    Vou entrar em contato por e-mail com você, ok? abraços

  25. Keli comenta:

    dezembro 8, 2016 @ 15:37

    Boa Tarde,

    Acabei de receber a noticia que meu filho esta retido, nao conseguiu recuparar as notas das materias que ficou de recuperaçao.
    Na escola a media e 6 fechando em 30 pontos.
    A escola informou que eu posso entrar com a carta de reconcideraçao e teve o acompanhento de uma psicopedagoga o ano letivo todo.Nao teve nenhuma falta na escola durante o ano.
    Faltou 0,5 de Geografia
    0,13 de Ciencias
    1,38 Ingles
    1,65 Espanhol
    0,65 Portugues
    0,04 Matematica

    Desculpe meu computador esta com problemas e os acentos nao estao aparecendo.
    Preciso de uma opiniao estou desesperada.
    Obrigada pela atençao!

  26. Sônia R. Aranha comenta:

    dezembro 9, 2016 @ 2:36

    Keli, se você mora no Estado de São Paulo ou Santa Catarina pode interpor o Pedido de Reconsideração porque nesses Estados há ato normativo que disciplina o processo de recurso.

    Nos demais Estados é mais difícil, mas é possível usar a lei federal n.8069/90 , artigo 53, inciso III.

    Se você é do Estado de São Paulo interponha o Pedido de Reconsideração usando as Deliberações CEE-SP n.120/2013 e suas alterações n.127/2014 e 128/2014.

    Se você é do Estado de São Paulo tem 10 dias corridos para interpor o Pedido de Reconsideração endereçado ao diretor da escola.

    Se o Regimento Escolar diz que pode reprovar o aluno por décimos pode e fim.

    Infelizmente é uma prática comum .. eu como profissional da área da educação acho isso um absurdo, mas quando você mãe assina o Contrato de Prestação de Serviço no ato da matrícula está concordando com as regras expressas em Regimento de modo que infelizmente na escola do seu filho décimos reprova.

    Dá para recorrer ? Dá porque é direito. Terá êxito? Difícil de saber , cada caso é um caso e cada escola uma escola.

    Eu presto serviço de elaborar a defesa do aluno , mas cobro honorários. Caso precise entre em contato: saranha@mpcnet.com.br ou sonia@centrodestudos.com.br

    abraços

  27. Keli comenta:

    dezembro 13, 2016 @ 23:15

    Boa noite

    Sônia,entre com uma carta de reconsideração,caso eles continuem com a mesma opinião posso entrar junto a secretária da educação certo.Ah sou do estado de São Paulo.
    Gostaria de saber o que eles avaliam saberia me dizer??
    E se puder me enviar um email com os valores de honorários agradeço.

  28. Sônia R. Aranha comenta:

    dezembro 14, 2016 @ 1:10

    Keli, isso mesmo

    1) Pedido de Reconsideração
    2) A escola tem 10 dias para lhe responder, vai cair no recesso então somente no final de janeiro é que terá uma resposta
    3) Se indeferirem o Pedido , interpor Recurso na escola, mas endereçado ao Dirigente de Ensino Regional que supervisiona a escola
    4) Se indeferir ainda dá para recorrer ao CEE
    4) Se indeferir e dependendo dá para recorrer da decisão do CEE

    O processo é longo.

    Se há falha regimental .

    OK. abraços

  29. Keli comenta:

    dezembro 14, 2016 @ 14:55

    Oi Sonia

    Qual o valor dos honorários tive a resposta negativa por parte da escola.
    Estou sem saber o que fazer.

    Grata,

  30. Matheus comenta:

    dezembro 20, 2016 @ 14:56

    Sônia. boa tarde.
    Corro sério risco de ficar com 74% de frequência no ensino médio.
    Passaria ? Ou se tivesse que recorrer como o faria ?
    Aguardo sua resposta. Obrigado.

  31. Sonia comenta:

    dezembro 20, 2016 @ 22:25

    Oi gostaria de saber com vc meu filho foi retido no segundo ano ele tem 7 anos faz aniversario dia 9 de janeiro o professora disse que ele nao ta pronto mais ele tem umabprofeasora particular que atestou que ele tem condições de acompanhar o terceiro ano ja protocolei e agora falei com um advogado ele disse que e um caso dificil de ganhar prq é um órgão publico sou de dois vizinhos Paraná obrigado

  32. Sonia comenta:

    dezembro 21, 2016 @ 20:01

    Me ajude nao sei mais o que fazer

  33. Sônia R. Aranha comenta:

    dezembro 22, 2016 @ 1:14

    Sonia, respondi…

  34. Sônia R. Aranha comenta:

    dezembro 22, 2016 @ 5:08

    Sonia, não deve haver reprovação no 2o ano Resolução CNE/CBE n.07/2010 e se for do Estado de São Paulo Parecer CEE-SP n.285/2014, ok?

    Entre com recurso… onde você mora?

  35. Sônia R. Aranha comenta:

    dezembro 22, 2016 @ 5:11

    Matheus reprovação por falta é difícil de reverter … tem que ter 75% , menos do que isso ..

    ok?

  36. Sônia R. Aranha comenta:

    janeiro 2, 2017 @ 0:45

    Keli , desculpa demorar para lhe responder.. mas final do ano são centenas de pedidos de informação e não consigo atender a todos.
    Acredito que já tenha resolvido sua questão , mas caso queira entrar em contato : sonia@centrodestudos.com.br

    abraços

  37. Luis Felippe comenta:

    janeiro 16, 2017 @ 21:28

    Oi Sonia, a escola pode entregar o boletim de notas no mesmo dia em que vai acontecer as provas de recuperação? Nenhum aluno sabia se ia precisar fazer a prova e ninguém estudou pra recuperação

  38. Sônia R. Aranha comenta:

    janeiro 20, 2017 @ 4:52

    Luis Felipe, não é o procedimento correto…

    Pegue o Regimento Escolar e verifique o que está escrito a este respeito.

    Vocês alunos poderão contestar os critérios avaliativos e procedimentais segundo a lei federal n.8069/90, aritog 53, inciso III.

    ok?

    abraços

  39. IRIA comenta:

    janeiro 24, 2017 @ 12:13

    Olá Sônia, sou de Santa Catarina e meu filho estudo em escola estadual, estou desde o dia 26/12 querendo saber sobre a reprovação do meu filho e me enchem de explicações, vi as provas que ele ficou vi que não atingiu os pontos, só que o meu questionamento é o seguinte a escola teve o ano todo para me chamar e nunca me falou que ele estava mau, todas as vezes que fui sempre me falaram coisas boas me mostraram a ata tudo bom sobre ele, isso que eu não entendo porque pra mim fui pega de surpresa e ele prejudicado repetindo a 7serie novamente, ontem fui na escola na data combinada novamente e as mesmos argumentos acharam melhor assim.. mas nao concordo! Porque nunca foi feito uma reunião nunca me chamaram e agora falam para eu voltar o dia 6 de fevereiro para falar com os professores, estou sendo enrolada, o que devo fazer? Não aceito a reprovação dele!

  40. DEVIANE MARTINS DE CASTRO comenta:

    fevereiro 1, 2017 @ 15:55

    Sonia meu filho esta com síndrome do panico, e mesmo entregando trabalhos e laudos médicos mais atestados , meu filho foi retido. ESTIVE NA DEFENSORIA QUE ACATOU RELATOS MENTIROS DO DIRETOR,pois tenho todos os documentos .
    O que devo fazer?

    Escola Publica Carapicuiba

  41. Sônia R. Aranha comenta:

    fevereiro 1, 2017 @ 17:13

    Deviane,

    Quando ocorreu a reprovação?
    Escola Estadual?
    Você entrou com Pedido de Reconsideração e depois Recurso, seguindo a Deliberação CEE-SP n.120/2013 e suas alterações n.127/2014 e 128/2014 ?
    A Defensoria Pública acatou e o que aconteceu?
    Aguardo

  42. Deviane Martins comenta:

    fevereiro 1, 2017 @ 21:58

    Oi Sônia…O defensor disse que não existe nenhum recurso , pois o Diretor colocou na resposta que não entreguei os trabalhos..Mas tenho todos os protocolos de entrega, isto foi hj , fiquei sabendo que estava retido dezembro , quando entrei com recurso na defensoria.mas Sônia o Diretor dx bem claro , quando procurei Diretoria de ensino e secretária de educação que tudo vai p ele é que se entrar com recurso na diretoria vai p ele , e não vai aceitar, Tonho o boletim foi colocado nota 3 para todas as matérias em três semestres seguidos, e o fato de ter procurado os direitos do meu filho foi uma afronta p ele. Quando foi entregar a resposta na defensoria , ele foi pessoalmente.o defensor não quis nem ver nada, os trabalhos os laudos do médico. E pior o Gabriel do não conseguiu frequentar a escola pq no primeiro dia o portão das salas estava trancado ele se sentiu mal e demoraram a socorrer, o que além do pânico causou uma fobia, q está no relatório do médico.

  43. Deviane Martins comenta:

    fevereiro 1, 2017 @ 21:58

    Sim é estadual

  44. IRIA comenta:

    fevereiro 3, 2017 @ 9:34

    Bom dia Sônia deixei meu comentário à cima e gostaria de saber algo do que fazer estou preocupada pois está chegando o dia 6 e não sei o que fazer.

  45. Sônia R. Aranha comenta:

    fevereiro 6, 2017 @ 1:34

    Iria, você pode recorrer por intermédio da Resolução CEE-SC n.183/2013 http://www.centrodestudos.com.br/Artigos/Resolu%C3%A7ao%20183%20de%202013%20avalia%C3%A7%C3%A3o.pdf

    Leia a partir do Artigo 21.

    Da ciência da reprovação você tem 2 dias úteis para entrar formalmente (via documento) com o Pedido de Reconsideração, a escola indeferindo o seu Pedido, você entra com Recurso junto ao GERED e assim até chegar no Conselho.

    Leia e siga a determinação.

    Tem direito de recorrer em instância escolares superiores.

    Eu presto serviço de escrever o documento de defesa,mas cobro horários. Caso precise entre em contato: saranha@mpcnet.com.br

    abraços

  46. Sônia R. Aranha comenta:

    fevereiro 6, 2017 @ 1:34

    Iria, respondi

  47. Sônia R. Aranha comenta:

    fevereiro 6, 2017 @ 1:56

    Deviane, não sei o deve ser feito se você já recorreu a Defensoria Pública e não foi acatado..

    Não sei lhe recomendar mais nada, acho que tudo o que pode fazer você já fez.

    att

  48. Maiara comenta:

    fevereiro 13, 2017 @ 19:39

    Boa tarde Sonia, li algumas de suas matérias e me esclareceu bastante sobre a matrícula na educação infantil. Me ajude, meu filho completará 3 anos dia 22/05/2017, fui a escola matricular na turma de 3 anos, porém se recusaram a matricular devido às resoluções de data corte 31/ 03, então tive que matricular na de 2 anos porém em outra escola, pois na outra não havia vagas pra 2 anos. Acontece Que em 2018 ele completará 4 anos idade em que deve obrigatoriamente entrar na escola. Mas seguindo o critério adotado pela escola vão querer Que ele fique na Turma de 3 anos e não no pré I como determina a lei. O que devo fazer?

  49. anna Beatriz comenta:

    fevereiro 19, 2017 @ 14:59

    Olá, Sônia .
    Queria saber se os alunos da escola publica pode fazer um abaixo assinado pra usar só a camiseta da escola, e a parte de baixo uma roupa do aluno MSM?.

    Sou de Paraná.

    Obg pela atenção.

  50. rogerio comenta:

    fevereiro 26, 2017 @ 18:24

    Boa Tarde, estava pesquisando sobre o colégio brasileiro de pós graduação e extensão universitária e profissional COBRA conclui o ensino médio por lá 03/10/2006 porém morava e moro em São Paulo estou ingressando em uma Universidade este ano porém fiquei com duvidas, lí que quem se formou no RJ e morava em SP o curso não é aceito? o que devo fazer?

  51. Denise comenta:

    fevereiro 28, 2017 @ 13:20

    Moro em Teresópolis-RJ e minha filha estuda em Escola Privada.
    No Estatuto da Escola nao falam nada em relação a reprovação por décimos.
    Professora Sonia Aranha, boa noite! Espero que esteja tudo bem com a senhora.
    Meu nome é Denise,soube do seu trabalho através de consultas minha á internet, numa busca “desesperada” em achar um respaldo de Lei que “socorresse” a minha filha de uma Reprovação a meu ver injusta por 3 (três) décimos.
    A minha filha, fez 11 anos em fevereiro deste ano e esta repetindo o 5o ano do Ensino Fundamental.
    Em 2015 eu tive um câncer de mama, cujo tratamento foi bem difícil e os médicos não estavam otimistas quanto a minha recuperação, pelo fato de ser um câncer agressivo e já em estado avançado.
    Talvez a senhora possa imaginar como fica o emocional de uma criança, na época com apenas 9 anos. Eu não pude dar o apoio acadêmico necessário á minha filha, devido aos longos meses de quimioterapia que me deixou muito debilitada. Mas ela de forma surpreendente levou o ano letivo “nas costas” sózinha, conseguindo a aprovação para o 5o ano.
    2016 foi um ano mais tranquilo em comparação a 2015, pois o pior do tratamento, que é a quimioterapia, já havia passado. Restava pra mim a Radioterapia.
    Minha mãe que ficou bastante envolvida comigo e vendo que eu me recuperava, “relaxou” e então comecei a fazer a Radioterapia, quando ela começou a apresentar problemas cardíaco necessitando ser hospitalizada para tratamento, foram 35 dias no Hospital da capital. Outra vez, a filha ressentiu. Mas conseguiu tirar notas muito boas, exceto em matemática, cujas notas foram: 5.0; 5.2; 6.4 , nas 1a, 2a e 3a etapas respectivamente. Não atingindo a média 6.0, ela foi á Recuperação.
    Se esforçou bastante, porém na véspera da prova, por conta do nervosismo, teve uma diarréia que prejudicou o sono, algo fundamental para quem no dia seguinte terá algo importante a decidir. Conclusão, não conseguiu fazer uma boa prova, não obtendo assim, o mínimo para a sua aprovação.
    Diante daquela situação e vendo minha filha em desespero, pedi uma revisão de prova, coisa que não aconteceu da forma como deve acontecer. Eu refiz a soma das questões da prova, a soma estava errada, pois a nota da prova foi 4.8 e conferindo a soma, a nota certa seria 5.0.
    Haviam questões mal corrigidas, questões em que a professora deu como meio certo, outras no mesmo padrão daquelas, dadas como erradas.Tipo de situação que ao meu ver, teve dois pesos e duas medidas. Na dita “revisão de prova”, que esteve presente eu, a professora de matemática e duas coordenadoras, pontuei todos os erros de correção da prova, questionei, mostrei os erros evidentes de correção. Mas bom seria se eu estivesse dialogando com uma “parede”, pois aquelas pessoas acima citadas não me deram a mínima importância, mantendo assim covardemente a reprovação por três décimos (5.7). Ficamos muito triste porque as notas dela nas outras disciplinas foram ótimas, sendo a menor nota 8.0.
    Procurei ajuda da Justiça, mas me desestimularam a seguir adiante pois estavamos no fim do ano e como a matrícula estava com o prazo bem em cima não dando tempo hábil em matricular a minha filha no 6o ano, caso ganhassemos a questão.
    Tirei a minha filha do então do então Colégio e a matriculei em outro, no 5o ano.
    Até que a cerca de 8 dias aconselhada pela mãe de uma amiga da minha filha, que teve o mesmo problema com a sua filha, mas em outra Escola, a procurar a Secretaria de Educação e fazer um relatório contando tudo o que aconteceu, entrando com um “processo de reconcideração por parte da Escola á reprovação” e citar a Lei 9394/96 e a observação da senhora que diz que: “reprovar o aluno por décimos é uma atitude retrógrada da Escola que não contribui positivamente em nada á vida do aluno”.
    Bom Professora, hoje é dia 28 de fevereiro. O ano começa de verdade no dia 06 de março, após as festividades do Carnaval. A minha pergunta é: VALE A PENA AINDA LUTAR PARA QUE A MINHA FILHA CONSIGA IR PARA O 6o ANO?
    Um Abraço e muito obrigada pela atenção dispensada a nossa causa.

    Denise

    P.S: A demora em resolver essa situação se deve ao fato de que ninguém soube me orientar em nada. Nessas horas ficamos completamente sózinhas e impotentes.

    Obrigada!

  52. Sônia R. Aranha comenta:

    março 4, 2017 @ 1:57

    Denise,

    No Estado do Rio de Janeiro não tem ato normativo que discipline o recurso.

    Isso, por um lado é muito ruim porque não há prazos e pode demorar uma vida para que as instâncias escolares superiores definam o caso.

    Por outro lado, não havendo prazo você ainda pode tentar.

    Mas é bem difícil reverter uma reprovação agora em Março.

    Eu consegui reverter uma em Petrópolis, mas a decisão saiu no final de Janeiro.

    No entanto, é direito da sua filha recorrer, dada pela lei federal n. 8069/90, artigo 53, inciso III.

    ok?

    Eu presto serviço de elaborar a defesa aí no Rio em conjunto com uma advogada visando agilizar o processo. Caso precise entre em contato: saranha@mpcnet.com.br

  53. Sônia R. Aranha comenta:

    março 4, 2017 @ 2:25

    Rogerio, isso mesmo. Uma escola do Rio de Janeiro sem autorização da Secretaria de Educação do Estado de São Paulo não pode certificar a distância alunos daqui.

    Este COBRA é um problema. Para resolver somente via Justiça. Mesmo que a faculdade aceite vc ingressar não lhe dará o diploma no final do curso. De modo que recomendo resolver antes de gastar com a faculdade.

    ok?

    Caso precise posso indicar advogada da cidade do Rio de Janeiro que está atuando nesta área e tentando (veja que não é 100% de certeza de solução) resolver este problemão …

    abraços

  54. Sônia R. Aranha comenta:

    março 4, 2017 @ 5:11

    Anna Beatriz, pode pode.. ainda vivemos em um país livre.. mas se resulta .. não se sabe, não é?

    abraços

  55. Bruna comenta:

    março 26, 2017 @ 13:41

    Olá Prof a Sônia

    NO SÁBADO VC ME ACONSELHOU E RESPONDEU MINHAS DÚVIDAS CLARAMENTE MUITO OBRIGADO.
    GOSTARIA DE SABER SE A ESCOLA COBRAR PELO MATERIAL COLETIVO É ERRADO, EM ESCOLA INFANTIL PARTICULAR?
    SOU DE BELO HORIZONTE

  56. Sônia R. Aranha comenta:

    março 26, 2017 @ 23:58

    Bruna, sim , é ilegal.

    Lei federal n.9870/99, artigo 1o , parágrafo 7o

    § 7o Será nula cláusula contratual que obrigue o contratante ao pagamento adicional ou ao fornecimento de qualquer material escolar de uso coletivo dos estudantes ou da instituição, necessário à prestação dos serviços educacionais contratados, devendo os custos correspondentes ser sempre considerados nos cálculos do valor das anuidades ou das semestralidades escolares. (Incluído pela Lei nº 12.886, de 2013)

    http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L9870.htm

    abraços

  57. Sônia R. Aranha comenta:

    março 30, 2017 @ 1:12

    Maiara,

    em janeiro de 2018 o seu filho está com 3 anos , será barrado pela data-corte 31/03 e completará 4 anos em maio.

    então o único jeito é impetrar mandado de segurança por volta de novembro de 2017 assim o juiz concedendo liminar ele poderá ser matriculado na turma de 4 anos, ok?

    abraços

  58. Maria Souza comenta:

    abril 4, 2017 @ 12:30

    BOM DIA!

    Estou necessitando da lei do Estado da Bahia que fala da quantidade de alunos em sala de aula na educação infantil nos municípios.

  59. Sônia R. Aranha comenta:

    abril 5, 2017 @ 19:19

    Maria Souza , eu já lhe informei isso por intermédio de e-mail no dia 04/04. Segue novamente.

    Respondendo a sua questão:

    Não há lei federal ainda para disciplinar o número de alunos em sala de aula.

    O que temos são projetos de lei ainda em tramitação.

    http://www.camara.gov.br/proposicoesWeb/prop_mostrarintegra;jsessionid=1010810D5932B6FF8527383225A65E78.proposicoesWebExterno1?codteor=1314245&filename=Parecer-CE-25-03-2015

    – oito, na educação infantil de 0 a 2 anos;
    II –quinze, na educação infantil de 3 a 5 anos;
    III –vinte, na educação fundamental dos anos iniciais;
    IV –vinte e cinco, na educação fundamental dos anos finais;
    ——————————————————————————–

    No Estado da Bahia http://www.sec.ba.gov.br/sge/arquivos/portaria_de_matricula_publicada_14.11.15.pdf

    Creche 5
    Grupo I 15
    Grupo II 20
    Grupo III 25

  60. Carlos Romualdo comenta:

    maio 5, 2017 @ 4:53

    Bom dia,
    Gostaria de saber o que acontece com o aluno deficiente quando a escola dá a chamada Terminalidade?
    Pelo que eu entendi a escola fica isenta de qualquer responsabilidade pedagógica em relação ao aluno. É isso?
    A escola não vai mais ter que fornecer mediação, nem currículo adaptado nada se atestar a Terminalidade?

  61. REBECA KIURI comenta:

    maio 6, 2017 @ 23:44

    Olá Sônia! Me chamo Rebeca, Moro em São Paulo. Minha dúvida é a seguinte, gostaria de saber se posso estudar em uma escola particular, pelo fato da minha idade, Pois tenho 20anos e curso o 2medio. Infelizmente tive alguns problemas que fizeram eu me atrasar para terminar meus estudos no ensino médio. Mas eu queria ingressar em uma escola de ensino regular, mas tenho medo de não ser aceita por causa da idade. Então quero saber, se ainda existe possibilidade, de terminar meus estudos o 2e 3ano no ensino regular,em uma instituição particular.

  62. Sônia R. Aranha comenta:

    maio 8, 2017 @ 19:55

    Rebeca, se a escola particular oferecer o supletivo sim, mas regular diurno não em função da idade,ok?

    Somente supletivo, ok?

    abraços

  63. Sônia R. Aranha comenta:

    maio 8, 2017 @ 20:11

    Carlos Romualdo, a terminalidade é para alguns casos.

    É quando o aluno com deficiência não tem mais o que aprender (chegou em seu limite) em um determinado curso oferecido por um determinado estabelecimento de ensino, por exemplo, no ensino médio. O aluno recebendo a terminalidade naquela escola não tem mais que frequentá-la.

    Exemplo:

    Aluno com lesão cerebral moderada chegou a finalizar o ensino fundamental, porém o ensino médio tem conteúdos que ele não é capaz de assimilar, tais como: física, química e matemática de modo que a escola poderá dar a ele a terminalidade do ensino médio.

    O aluno, não mais frequentará esta escola e poderá, por exemplo, cursar um profissionalizante mais próximo de suas habilidades e daí sim com currículo adaptado.

    ok?

    abraços

  64. Telma Maria Soarers comenta:

    maio 10, 2017 @ 1:22

    Olá Sonia,O meu neto TDAH e memoria curta com pouca função está no 6 ano e fará 11 em 27 de junho.Ele já estuda na escola atual desde o terceiro ano e até aí o 5 ano ele foi atendido em suas dificuldades de forma razoável mas não tão satisfatória como desejei,mas deu para levar.só que agora no 6 ano procurei varias vezes a coordenadora para pedir que orientasse os novos professores .Ela me disse por várias vezes que fui lá que já havia falado para eles.Há mais ou menos uma semana voltei a escola e conversei escondido com dois professores que disseram que não tinham conhecimento sobre o caso dele.Ainda me perguntaram se a coordenadora tinha conhecimento sobre a situação dele.Ele estuda muito para as provas e o resultado não tem sido bom pois está faltando a orientação de todos os professores.A professora de matemática e a de português afastarão por um mes e nesse período eles tiveram duas substitutas para cada matéria .As atividades estão em excesso ,só para entender 6 feira foi dado um trabalho de historia para a próxima 6 feira ,já na segunda um trabalho imenso de português para 3a feira, outro de 38 questões para 4a feira e prova de ingles na 6a feira.Ele está completamente desnorteado com tanta tarefa e eu também .Já levei um novo laudo do neuro para a escola,só que até agora não vi resultado sem contar que ele fica frustado com as notas.O que devo fazer,como fazer ,e o que preciso colocar em sua pasta para resguarda-lo de um resultado que não é apropriado pois ele é inteligente e muito responsável apesar de ter momentos de nervosismos e raiva por causa da quantidade de deveres.Há um das respostas que recebi em relação a essa reclamação foi que agora é mais apertado e que ele precisa dar conta como os outros alunos e que o ritmo da escola é esse.No mais agradeço a atenção e conto com sua orientação. Moro em Santa Bárbara MG

  65. Neide comenta:

    maio 10, 2017 @ 12:11

    Bom Dia! Queria dizer que gosto muito deste blog.
    acompanho sempre. Parabéns! Muitas Informações e esclarecimentos.
    Parabéns mesmo.

  66. Sônia R. Aranha comenta:

    maio 10, 2017 @ 12:51

    Neide! Obrigada!
    Você também poderá ler os meus posts no http://www.soniaranha.com.br

    Abraços!!

  67. Sônia R. Aranha comenta:

    maio 10, 2017 @ 13:00

    Telma, eu recomendo que você elabore um documento formal, em duas vias, uma entrega e a outra via protocola e guarda, endereçado para a direção da escola informando que o seu neto tem TDAH, precisa anexar o atestado médico comprobatório e nele deve constar o CID, solicitando que a escola ofereça a ele um programa de inclusão conforme determina a lei federal n.13.146/2015, artigo 28, parágrafo 1o.

    Escolas particulares de cidades do interior, são difíceis de cumprir a legislação, mas o caminho primeiro é junto a direção. Se não houver resultado você poderá constituir um advogado para impetrar um mandado de segurança ou buscar apoio no Conselho Tutelar ou ainda no Ministério Público do Estado de Minas Gerais.

    Eu presto serviço de elaborar o documento de defesa do aluno e acompanhar o caso e se for necessário escrever os demais documentos, mas cobro honorários. Caso precise entre em contato: sonia@centrodestudos.com.br

    abraços

  68. Marcos comenta:

    maio 12, 2017 @ 5:19

    Olá, meu nome é Marcos, curso o 3 do É.M. em colégio público estadual no RS, a professora de matemática falta muitos períodos por semana e quando questionada diz que falta por motivos relacionados a outra funcao, coordenadora pedagógica, que exige que ela vá a POA, algumas vezes por mês. Gostaria de saber como faço para ela ficar em sala de aula? Baseado em quais leis?
    P.S. Ela registra todas essas aulas, como se ela as desse. Pois quando sai às vezes deixa “trabalhinhos” de matéria do 1 ano do EM

  69. Marcos comenta:

    maio 12, 2017 @ 5:20

    Desde já agradeço

  70. Telma Maria Soares comenta:

    maio 12, 2017 @ 13:34

    Sonia Bom dia e obrigada pelo esclarecimento e a precisão.Hoje mesmo fui convidada a ir a escola na 2a. feira, porque cobrei da escola caderno emprestado de aluno para o meu neto colocar em dia religião,artes e inglês.Então disse que eu queria saber hoje da coordenadora por telefone e fui atendida só que a justificativa é que nenhum membro da escola pode pedir caderno de aluno emprestado,somente o próprio aluno,só que meu neto não lembra ao chegar na escola do que era para fazer.Realmente a escola pode tomar esta medida e ela esta correta uma vez,que ele deve ser lembrado sempre.Sobre o documento de defesa do aluno quero que faça para mim pois pretendo me garantir de todas as formas.

  71. Sônia R. Aranha comenta:

    maio 13, 2017 @ 2:56

    Telma, estarei entrando em contato por e-mail.
    abraços

  72. Sônia R. Aranha comenta:

    maio 13, 2017 @ 3:03

    Marcos, você e outros alunos (se menores os responsáveis) devem fazer uma denúncia junto a direção, um abaixo-assinado informando o que está havendo e que estas faltas além de não serem éticas estão prejudicando vocês.
    O documento deve ter o número bom de assinaturas e deve ser feito em duas vias, uma via entrega e a outra protocola.

    Se não houve mudança no comportamento da professora, façam outro documento e encaminhem para a Secretaria de Educação do Estado do Rio Grande do Sul , anexem a cópia do documento que foi entregue para a diretora sem resposta e expliquem o que está acontecendo.

    Não havendo resultado sigam para o Ministério Público do Estado do Rio Grande do Sul para que intervenha junto a Secretaria de Educação.

    Sem documentos seguem com cópias do que foi entregue nas instâncias inferiores e com abaixo assinado ok?

    Abraços

  73. Telma Maria Soarers comenta:

    maio 18, 2017 @ 20:32

    Sonia gostaria de pedir-lhe a elaboração do documento de defesa do meu neto Arthur Caldeira Azi. Estou com o atual CID10: 909.0 e F81.9. Ele estuda numa instituição particular mas e tenho 50% de bolsa.As notas tem piorado,ele faz prova em sala com outros alunos da escola,nos últimos horários.Já questionei mas dizem que é o sistema da escola e as atividades são acumuladas em dias de prova podendo fazer até duas avaliações por dia.As matérias de português não chegam a ser fixadas, pois são dadas umas após a outra.o calendário de provas consta 2 avaliações de português e matemática e uma avaliação do restante,só que os professores dão mais provas além destas.Fica difícil trabalhar com ele em casa devido ao excesso que ocorre na maioria das vezes.E também não foi passado para os professores de maneira adequada a situação dele,isso porque ao conversar com alguns eles me perguntaram se a coordenadora estava a par dessa situação.Estou tentando marca horário disponível com a diretora e para variar agora tenho que marcar tbém com a coordenadora e com os professores que consegui conversar foi escondido e na porta da sala em que eles estavam.Aguardo sua comunicação e agradeço.Quero saber quanto vai ficar o documento formal e se necessário a sua atuação como será ? Minha gratidão,Abraços.

  74. Sônia R. Aranha comenta:

    maio 18, 2017 @ 21:36

    Telma Maria, boa noite.

    Já lhe enviei por e-mail os meus honorários.

    Agora vamos conversar por e-mail, ok? Meu e-mail é sonia@centrodestudos.com.br

    ok? abraços

  75. Kedna Cardoso comenta:

    julho 13, 2017 @ 15:28

    Bom dia! Li os comentários e gostaria de saber se a criança que ingressou esse ano no 1º Ano- Anos Iniciais, completando 6 anos em agosto se terá que repetir um ano? Ele é uma criança letrada com consciência fonológica e social da língua. Ler com autonomia, responde só suas próprias atividades, interage é curioso, ou seja, uma criança capaz de está num 1º Ano.
    Completo ainda que essa lei deveria ser revista,para que a criança que completasse 6 anos independente do mês pudesse ser aceita no Ensino Fundamental, pois alguns meses de diferença na idade das crianças não determinam se ela é ou não capaz de cursar outra modalidade de ensino.

    Um abraço!

  76. Sônia R. Aranha comenta:

    julho 25, 2017 @ 13:52

    Kedna, sim se não impetrar o mandado de segurança.
    Erro de matrícula da escola e no meu entendimento a escola deve custear os honorários e as custas de um mandado de segurança.
    Discutir a lei não resolve, o que resolve é solucionar o problema do aluno que foi indevidamente matriculado no 1o ano.
    Se você é escola ou mãe do aluno é preciso impetrar mandado de segurança. Constitua um advogado ou busque a Defensoria Pública para evitar a reprovação indevida. Sem a Justiça a escola nada pode fazer e tampouco a Secretaria de Educação.
    ok?
    Caso precise de um advogado entre em contato: sonia@centrodestudos.com.br

    abraços

  77. Lucas de Oliveira Poroca comenta:

    julho 31, 2017 @ 14:13

    Boa tarde sonia, então sou estudante do 8 ano do intellectus de niterói, e desde o inicio do ano vem acontecendo uma coisa muito inconviniente. Esse ano minha turma foi dividida em duas, e fiquei longe dos meus amigos, pedi pra poder mudar de sala e a cordenadora falou q devido ao inicio das provas eu n podia mas trocar de sala, e tambem disse q se um aluno novo entrasse no 8 ano ela me mudaria de sala. Então agora nessas férias um novo aluno entrou e em vez de me trocar, ela trocou uma outra garota, afirmando ter problemas familiares. Então gostaria de saber o que eu posso fazer? E até quando um aluno pode entrar na escola? Pois sua justificativa foi eu ter apenas um prazo para entrada de um novo aluno.
    Obrigado!

  78. Sônia R. Aranha comenta:

    julho 31, 2017 @ 15:36

    Lucas, a transferência de escola pode ocorrer sempre exceto muito no final do ano letivo. Mas agora, no início do 2o semestre pode ocorrer, sem problemas.

    O critério de dividir a classe e separar aluno é da escola, ninguém pode interferir, isto é, não há uma lei que impeça a escola de fazer isso.

    Agora, quando há divisão sempre alguém acaba saindo prejudicado, que é o seu caso, mas infelizmente não vejo muito a ser feito do ponto de vista legal.

    Seus pais poderão solicitar a mudança de classe e a direção poderá acatar ou não porque isso é um prerrogativa da escola ok?

    abraços

Por favor, Deixe um comentário aqui !




  • Veja Também


    Meta